Site com dicas de viagens.

A Maravilhosa Patagônia Argentina: Em El Calafate

Avalie esta postagem

IMG_3946Vou começar esse post pelo fim. Essa é a região mais linda que já vi em minha vida. E, olhem que já fiz inúmeras viagens por diversas partes do mundo. Claro que vi paisagens lindíssimas em outros lugares, mas na Patagônia você não precisa procurar a paisagem, ela lhe encontra. A toda hora você vê lindas paisagens. Para onde você olhar, onde você estiver.

Bom, iriamos para essa viagem no fim do ano de 2014, para passar o réveillon (não gosto muito de festas de fim de ano e prefiro viajar). Mas, encontramos um “pacote” de apenas cinco dias pela “Venturas“* e meu irmão que havia nos indicado essa viagem com essa agência/operadora, nos disse: “Vão não, cinco dias é muito pouco pra conhecer essa região”.

*Aqui vale uma explicação: Não gostamos de viajar em “excursão” ou em grupos grandes. Preferimos fazer nosso planejamento e viajar “a dois”. Mas, nesse caso, o da Patagônia, é mais tranquilo que já se vá com tudo acertadinho e nada melhor que uma boa (muito boa) operadora ou agência de viagens para fazer isso. Até porque lá não é possível se fazer passeios ou expedições isoladas. Para tudo (ou quase tudo) tem um guia. Alguém orientando, explicando, etc. E, por sinal gente muito capacitada e simpática. E por que escolhemos a “Venturas”? Porque um de meus irmãos já tinha ido por ela e nos deu excelentes informações. E assim foi: Tudo perfeito!

Voltando à nossa viagem: Depois de muita e-conversa pra lá e pra cá, entre eu e Samuel (da Venturas) acertamos a viagem para fevereiro. E, fomos, eu e meu marido San, para a Patagônia Argentina**, numa viagem de nove dias!

**Aqui vale outro parênteses: Antes queríamos ir para a parte chilena (já tinha ouvido falar da grande beleza natural da mesma, e não tínhamos tempo para ir às duas), mas depois que comecei a pensar se iria gostar de ficar as noites todas num camping (embora de luxo) ou num hotel meio isolado… E depois que conversei com meu irmão ele também me convenceu que a Patagônia argentina tinha mais “minha cara” para ir numa primeira vez. E por quê? Porque gosto de aventuras e claro de natureza, mas também curto muito uma cidadezinha pequena charmosa. Então teríamos El Calafate e Ushuaia para curtir, ademais dos passeios aventureiros com suas belezas naturais. Logo, a Patagônia chilena ficará para outra oportunidade, com grandes chances!

Bom, vale ressaltar que tivemos transfers para tudo: de aeroportos para hotéis (e vice versa), de hotéis para passeios, etc e tal. E sempre pontuais.

Na ida tivemos que dormir um dia em Buenos Aires (e outro na volta), e nas tardes e na manhã em que passamos por lá aproveitamos para andar por Recoleta, já que estávamos hospedados naquele bairro. Fomos tomar uns chopps (por sinal, ótimos) e petiscar algo no La Biela umas três vezes (ôps) e simplesmente flanamos pelas ruas de lá…

IMG_3381

Relaxando na piscina do Hotel em Buenos Aires. Depois de uma longa viagem, valeu muito!

IMG_3386

Encontrando “pessoas mortas” (risos). Os famosos escritores Jorge Luis Borges e Adolfo Bioy Casares, no “La Biela“.

IMG_3407

Caminhando pelos parques no charmoso bairro de Recoleta.

1) Em El Calafate – o 1º dia na Patagônia

Antes mesmo do avião pousar no aeroporto de El Calafate já se via uma paisagem diferente e linda. Uma mistura de uma aridez cinza com águas de puro azul serpenteando entre as montanhas e planícies de cor chumbo. O avião pousou ao lado do lago azul. O motorista do carro que nos levou  ao hotel foi explicando umas tantas coisas… E a gente a admirar aquele imenso terreno árido e cinza, mas de uma beleza ímpar, onde de vez em quando o lago azul dava seu “ar de graça”. Um presente dos deuses! A presença de um Deus. Um presente da natureza. Divino!

IMG_3433

Não conseguimos tirar uma foto legal, mas se vê um pouquinho do lago aí, la atrás. Juro que é lindo (risos)!

IMG_3436

Realmente nossas fotos dessa parte não saíram nada boas! Ao lado da aridez tem o lago, acreditem (risos)! E formam um conjunto muito belo!

Ao se aproximar da cidade começamos a ver algumas árvores, e nosso driver  nos explicou que essas foram plantadas para “segurar” um pouco o vento. Venta muito nessa época do ano, e embora estivéssemos no verão, é frio. O vento aumenta ainda mais a sensação do frio, mesmo que a temperatura não seja tão baixa (entre 4 a 10 graus, dependia do dia e da hora e do lugar). Mas, faz frio o ano inteiro, e as temperaturas baixam um pouco mais no inverno!

Chegamos ao nosso hotel e tivemos a grata surpresa de ser melhor do que havíamos visto nas fotos da internet. Caso raro! Mas o hotel era realmente ótimo, o quarto ótimo e a vista maravilhosa. Vista para as montanhas e vista para a lagoa! Quer mais? Ainda tinha um spa com uma piscina quentinha (quentinha, do jeito que eu gosto), para os momentos de relax. Se bem que ali se relaxa o tempo inteiro, basta olhar pras montanhas, pros lagos, pro céu…

IMG_3440

Vista do Pub/Bar do hotel

IMG_3442

Nós, na frente do hotel. Olha a paisagem que se vê de lá!

IMG_3644

Na fachada…

Chegamos no hotel lá pelas 7 da “noite”. Se não fosse verão já seria escuro, mas o sol somente ia “se pôr” lá pras 10 da noite. Então fomos perambular pela cidade. Adorei seu centro, charmoso, cheio de lojinhas e restaurantes igualmente charmosos, e gente a passar pra lá e pra cá. Adorei e pensei que bastaria ficar por ali que eu já estaria satisfeita!

Fomos jantar num restô super simpático e com comida especial, indicado pelo recepcionista do nosso hotel. Ficava fora da rua principal (paralela à mesma) mas estava quase lotado. E não é que lá encontramos um alemão que mora em Natal, nossa cidade? Que engraçado esse mundo e esses encontros! Esse gosta mesmo de aventuras pois foi pra lá de carro (desde São Paulo, pelo menos, menos longe)…

IMG_3447

No “La Zaina”. Muito bom!

IMG_3451

… brindando com um vinho patagônico

Depois, uma caminhada a mais, ladeira acima e chegamos de volta ao nosso hotel.

2) Glaciar Perito Moreno – o 2º dia

No dia seguinte nos esperava a grande estrela da viagem: O Glaciar Perito Moreno. Primeiro fizemos um tour pelo Parque Nacional Los Glaciares e depois pegamos um barco que nos deixou do outro lado da margem do lago, já pertinho do Glaciar, onde havia uma refúgio e guias que iriam nos acompanhar no trekking. É isso mesmo! Fizemos um trekking por cima do Glaciar e foi fantástico.

IMG_3486

Paisagens no Parque Nacional Los Glaciares

IMG_3491

Barcos que nos deixaram do “outro lado” para fazer o trekking no Perito Moreno

IMG_3497

Começando a chegar perto do Glaciar Perito Moreno (do barco)

Depois de deixar nossas coisas no refúgio andamos uns vinte minutos até chegar ao ponto onde colocamos os grampos* nos pés (nas botas) e ouvimos as explicações e recomendações dos guias.

*Grampos: espécies de ponteiras que são fixadas na sola do calçado ou bota (ou já veem como um “calçado” aberto pronto para ser amarrado ao seu) para permitir que se consiga obter tração sobre o gelo ou neve compactada.

Colocação dos "grampos"

Local para colocação dos “grampos”

IMG_3524

Minha vez de colocar os grampos (hehehe!)

IMG_3541

E lá vamos nós pelas trilhas da geleira… Fomos em três grupos de 15 a 20 pessoas cada, por “trilhas” distintas.

IMG_3549

Felicidade existe! Olha só minha carinha!

IMG_3552

Já no final do trekking…

Caminhamos em torno de 1 hora e meia sobre o Glaciar, às vezes subindo, às vezes descendo, mas sempre com uma paisagem magnifica para admirar. Difícil? As vezes, mas nada que nos impedisse de seguir ou sequer que nos fizesse pensar em desisitir. Sempre pra frente! Ou pros lados (risos). Ah, e ainda tomamos água (deliciosa) do Glaciar!

Tudo lindo!

Tudo lindo!

No final, um brinde com whisky e gelo do glaciar. Salud!

IMG_3559

Um brinde: Whisky com gelo do Glaciar!

IMG_3562

O “gran finale”. Salud!

Voltamos ao refugio com mais uns vinte minutos de caminhada e almoçamos (cada um havia levado sua “lancheira”*). Esse lanche com vistas ao Glaciar foi muito bom, apesar do sanduíche frio, a beleza do Perito Moreno nos deixava cada vez mais extasiados!

*Nos hotéis já existem uma variedade de “lanches” que você escolhe para levar, caso não queira comprar coisas em super-mercados. Tipo uma “cesta de picnic” basiquinha. 

IMG_3570

Lanchinho admirando o Glaciar…

IMG_3573

Um registro…

IMG_3585

Uma subida nas pedras pra admirar mais um vez o Glaciar de perto…

IMG_3577

A cara da felicidade!

Depois voltamos de barco, pegamos o ônibus do tour e ainda fomos para o outro lado do Glaciar, onde há umas passarelas e fizemos outro passeio chegando perto do Glaciar! Lindo demais!

O Perito Moreno, agora visto das passarelas

O Perito Moreno, agora visto das passarelas

IMG_3612

E nós lá!

IMG_3614

Pessoal admirando a geleira desde os mirantes das passarelas!

3) Coisas da natureza…

Ao final do dia chegamos ao hotel cansados, mas felizes. Aproveitamos e fomos relaxar na piscina e sauna. Ao voltar ao lobby do hotel tivemos a ingrata surpresa de um telefonema da agência cancelando nosso passeio do dia seguinte. Estava ventando muito (é quase normal no verão, ôps!) e não poderíamos navegar. Que pena!

Esse passeio iria ser ótimo, pois teria uma parte grande de navegação entre blocos de gelo e pelo canal Cristina. Depois iriamos até uma estância (fazenda) onde almoçaríamos. Em seguida visitaríamos um museu, faríamos um 4×4, uma caminhada e teríamos uma vista maravilhosa de lagos, cordilheira dos Andes e outras geleiras. Mas, pra fazer tudo isso era necessário primeiro navegar, e os ventos não iriam deixar. Natureza é natureza. Estou contando isso aqui, pois se vocês tiverem a oportunidade de ir por lá não deixem de fazer o passeio “Estância Cristina Discovery” (e rezem pra não ventar)!

Obs. Tivemos a oportunidade de fazer um passeio parecido depois em Ushuaia, mas esse de El Calafate, creio ser mais completo.

Um whisky no bar do hotel para relaxar!

Um whisky no bar do hotel para relaxar!

Bom, mas tínhamos agendado jantar no Don Pichón, e fomos! o Don Pichón foi também recomendado pela recepção do hotel, por ter um “cordeiro patagônico excepcional” e uma “maravilhosa vista” para a lagoa. Nem o cordeiro era tão excepcional e nem a vista (preferimos a vista do hotel), mas mesmo assim foi legal!

IMG_3627

O cordeiro da Patagônia no Don Pichón

IMG_3628

Um vinho da Patagônia

IMG_3630

E nós no Don Pinchón (depois do vinho, que cara é essa minha?!)

4) Outra vez na cidade – 0 3º dia

Tivemos que nos contentar “sem o tour”, afinal não se pode ir contra a natureza. E aproveitamos pra passear na cidade a qual achamos uma gracinha. Passeamos, curtimos bastante (até fizemos umas compritas), tomamos um cervejinha e depois fomos almoçar. Escolhemos o La Cocina, na rua principal, também indicado pelo nosso motorista do primeiro transfer e porque o achamos com “cara simpática”. Foi legal!  Vale muito a pena ficar um dia a mais só para curtir a cidadezinha! Super recomendo!

IMG_3650

Curtindo o centro de El Calafate

Um brinde antes do almoço. Pra abrir o apetite como diria os "mais antigos"!

Um brinde antes do almoço, num barzinho legal. Pra abrir o apetite como diria os “mais antigos”!

No La Cocina

No La Cocina. Adoro janelas!

Voltamos para o hotel, curtimos também o mesmo, seus espaços, sua vista, e mais tarde fomos jantar no próprio.

5) O voo para Usuhuaia – 4º dia

Tomamos nosso delicioso café da manhã olhando para as montanhas e para os lagos. Nosso transfer chegou pontualmente (como sempre) e lá fomos nós voar outra vez, agora para a Terra do Fim do Mundo, para Ushuaia. Conto as aventuras nesse “fim do mundo” em outro post (leiam aqui).

Pôr do sol (Ushuaia)

Pôr do sol (Ushuaia)

IMG_4032

Navegando no Canal de Beagle (leiam no próximo post)

Avalie esta postagem


Engenheira por formação, fez doutorado em Madrid onde começou sua paixão pela Europa. Aprendeu, com seus pais, desde criança a gostar de viajar. Adora viajar e diz que "sem viajar não me reconheço"! Escreve sobre suas viagens pelo mundo afora de forma divertida e leve. Escritora por hobby, além desse blog tem dois livros de viagens publicados.

Comentário para A Maravilhosa Patagônia Argentina: Em El Calafate

  • Ana, adorei seu relato. Como já fiz essa viagem, foi ótimo recordar a mesma através do seu relato tão detalhado e informal. Foi para mim também uma viagem inesquecível! Aguardo a continuação!

    Ana Lúcia da Mata 20 de fevereiro de 2015 19:32 Responder
    • Obg Ana Lu, esperando suas entrevistas…

      Ana Célia 23 de fevereiro de 2015 11:56 Responder
  • parabéns pelo lindo relato. Vc é top.

    Marcio 20 de fevereiro de 2015 23:53 Responder
    • Obg Marcio! 😉

      Ana Célia 23 de fevereiro de 2015 11:55 Responder
  • Legal Ana, adorei tudo quem sabe um dia possa ir e seguir suas dicas!!

    Lenize 23 de fevereiro de 2015 19:15 Responder
    • Obg amiga Lenize. Vc irá gostar!

      Ana Célia 23 de fevereiro de 2015 19:28 Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...
%d blogueiros gostam disto: