Site com dicas de viagens.

Aix-en-Provence: Quase morando lá!

5 (100%) 1 vote

Aix-en-Provence foi nossa terceira e mais longa base na nossa viagem França/2016 (maio/junho). Realmente nossa prioridade era a Provence e escolhemos “a dedo” Aix para “morar” vinte e dois dias por lá. Nossa base anterior havia sido Nice (post aqui).

Escolhemos Aix para ficar mais tempo porque estava mais “central” para conhecermos o que queríamos da Provence. Perto do mar, perto das montanhas e planícies, próxima a diversas vilas charmosas etc. e tal. Além do mais Aix  é conhecida por suas fontes, praças e construções dos séculos 17 e 18, e por ser uma cidade universitária é muito animada! E,  ainda é um centro de arte e cultura, onde nasceu o pintor Paul Cézanne.

Pelas ruas de Aix, curtindo a vida!

Em Aix nos divertimos muito, curtimos a cidade, “nos fizemos moradores”,  e entre turistadas e vivenciar o dia-a-dia fizemos de tudo um pouco. De lá fomos conhecer também várias outras vilas e cidades da Provence.

Lá tentamos também viver ao modo provençal, do sul francês (muito ousadia, né? estou aqui rindo…), especialmente em termos gastronômicos frequentando principalmente as feiras (amei!) e até nos arriscando na cozinha!

Pelas ruas de Aix comendo baguette da Padaria Paul

Na feira de Aix

Ah, assim que chegar em Aix vá na Office de Tourism que fica na Place de La Rotonde (o local mais conhecido de Aix), onde tem também uma loja da Apple. Na oficina de turismo eles lhe explicam tudo sobre as cidades da Provence, sobre Aix, sobre tours, aluguel de carros, ônibus, trens… Enfim, é bom dar uma passada por lá.

1) Nossos Bate&Voltas desde Aix

Alternávamos dias entre permanecer em Aix e dar umas escapulidas pelas estradinhas da Provence conhecendo mais e mais lugares.  Só as estradinhas já eram fantásticas! Os principais locais que fomos desde Aix foram: Avignon, L’Isle-sur-la-Sorgue, Fontaine de Vaucluse, Lourmarin, Bonnieux,  Gordes (e Abadia de Senaque), Roussillon, Le Baux (e o Carrières de Lumières), Marseille, Cassis (e algumas calanques), Moustier St. Marie, Gorges du Verdon (e o Lac St. Croix), Arles. Em outros posts contarei como foi nossos “bate&voltas” à essas vilas e lugares lindos da Provence (por enquanto deixo esses links de um site que achei fantástico: o www.beyond.fr).

Para a maioria desses lugares fomos de carro alugado (alugamos o carro lá mesmo na Europcar – Boulevard de la Republique n 55-; tem outras locadoras também como a Sixt, etc., que ficam em uma das ruas que “saem” da Place de La Rotonde). Foi melhor de carro porque fomos parando onde quisemos e nos apetecemos. Para outros lugares fomos de ônibus ou tour. De carro sempre íamos pelas estradinhas vicinais, dificilmente pegávamos as auto-routes (só em caso de pressa), afinal as estradinhas regionais são muito mais lindinhas!

Porque a escolha desses lugares? Li muito sobre a Provence. Conversei com quem já foi por lá. Fiz e refiz os planos junto com a amiga que viajou conosco e discutimos um pouco com os maridos. Entre essas leituras estava o blog Fuxicos de Viagem (além do mais  e-conversamos), o Destino Provence (também conversamos um pouco pelo instagram @destinoprovence), fiz algumas  consultas no grupo do face o “Viajando para a Europa“.

Não tínhamos todo o tempo do mundo e também queríamos ficar em Aix vivenciando a cidade. Alguns dos lugares fomos cortando ou incrementando durante o planejamento, outros durante a viagem…

Nesse post vamos falar apenas sobre o que fizemos em Aix.

Encontrinho com amigas em Aix

2) Nosso ap. em Aix

Nosso apartamento em Aix era o máximo (alugamos pelo Airbnb). Numa rua tranquila, mas pertíssimo de tudo. Apesar de “em cima” da principal rua de Aix (Cours Mirabeau) ficava do lado tranquilo, o lado de moradores.

Atravessando a Cours Mirabeau estávamos no meio mais turístico e também tínhamos tudo ao nosso alcance: farmácias, super mercado (o Monoprix), mercadinhos, padarias, restaurantes, centro de turismo, a rodoviária, a estação de trens regionais (a outra estação é mais longe), o centro histórico…

No “nosso” ap.

Nossa anfitriã Régine foi dez! Nos deu várias dicas super boas, e foi sempre muito legal.  Alugamos o ap. inteiro embora a proposta dela no AirBnb era, em principio, alugar apenas um quarto. Daí ficamos super à vontade, e pudemos viver meu desejo de “morar” uns dias na Provence.

2) Nossas andanças por Aix

O que mais fizemos por lá foi frequentar as feiras (ah, as feiras!), os parques, andar a esmo pelo centro histórico (muitas praças, fontes e ruas estreitas belas) e comer e beber em bares e restôs (ôps). E ainda cozinhávamos de vez em quando (ou no nosso ap. ou no ap. do casal amigo que viajou conosco).

Fomos ainda na Ateliê de Cezanne e no Monte Sainte Victoire), caminhamos muito, comemoramos meu niver lá e tudo o mais que pudemos fazer em vinte e poucos dias!

Praça e fonte La Rotonde. Por aí tem de tudo e é um “ponto de encontro”. A “Oficina de Turismo” está aí, a loja da Apple, bares… E a famosa avenida “Cours Mirabeau” começa aí!

No centro histórico…Fonte na Praça Albertas

Prefeitura (Hôtel de Ville)

As ruazinhas…

3) As feiras (Le Marché)

As feiras em Aix são espetaculares. Elas acontecem às terças, quintas e sábados. Nesses dias eu não queria sair de lá! Nos sábados a feira toda acontece na Praça des Prêcheurs.  Quando eu falo de feira “toda” é porque se juntam as feiras de comidas, frutas e verduras, pescados (e tudo o mais do mar) e roupas. Já às terças e quintas a feira de roupas e acessórios acontece em separado, no Cours Mirabeau enquanto as demais continuam na Place des Prêcheurs.

A parte da feira de peixes, mexilhões e ostras acontece todo dia, porém menor e termina mais cedo do que nas terças, quintas e sábados.

Sábado é o melhor dia para a feira de “pescados” e comidas “prontas” como paelhas e yakissobas em panelas enormes, além de assados (tem um quiosque/trailer bacana com assados de frango, porco ou coelho com batatas, e variados tipos de salsichas). Na feira ainda encontramos patês provençais, azeitonas, queijos e salames, especiarias, etc. Provamos de tudo (ou quase tudo).

Na feira em um sábado. Parte de vestuário. Roupas, chapéus, bolsas… Tem para todos os gostos…

Uma paella na feira…

Todos os dias tínhamos essa delicia!

Peixes…

Mais peixes…

E ostras, mexilhões (moules)… Adorava tudo isso!

Um dos dias, depois da feira, almocinho no ap. do casal amigo!

Santé!

Vinhos diretos do produtor (rosés são os especiais na Provence).

O produtor…

Queijos…

Especiarias, temperos, vários tipos de sal, etc…

4) O ateliê de Cézanne

Não fizemos o roteiro* completo “Passos de Cézanne” pois já andávamos quase todos os dias por alguma parte dele, já que estávamos sempre perambulando pela cidade (tem uns “pezinhos” com o nome de Cézanne para você seguir).

*O roteiro é um passeio que explora locais frequentados pelo artista.

Fomos visitar o ateliê (andamos “pra caramba” para chegar lá, ufa) rodeado de jardins, o qual foi construído em 1901 na colina Les Lauves. E ainda fomos caminhando até o mirante para ver a Montanha (ou monte) que tanto inspirou Paul Cézanne, o Mount Sainte Victoire.

Seguindo os “Passos de Cezanne”

Nós no ateliê de Cezanne (foto by minha amiga @zenaideaaraujo)

Com a Mount St. Victoire ao fundo (foto @zenaideaaraujo)

Umas das inúmeras pinturas do Monte St. Victoire de Cezanne

5) Os Parques

A cidade tem muitos parques. Fomos especificamente em dois parques: o Parque de La Torse (tivemos que caminhar alguns kms até lá, e até nos perdemos na volta (ôps) e o Parque Jourdan, pertinho de nosso ap. Fomos lá, nesse último, inclusive para ver uma feira de móveis de jardim porque em paralelo rolava uma “feira” de comidas de pequenos food-trucks… Foi ótimo! Comi algumas “gourmerias” e até alguns doces deliciosos (hummm), além de beber umas taças de champanhe (claro)!

No Parque de La Torse. Muito legal até para fazer piqueniques (foto @zenaideaaraujo; ela não está na foto poque era a fotógrada rsrss)

6) Restôs, Padarias…

Como geralmente tomávamos o café da manha tarde e ficávamos nas nossas andanças, quando tínhamos fome os principais restôs estavam fechados nos restando mais aqueles turísticos (e isso não era legal). Não recomendo muito os restaurantes e bares por perto de La Rotonde, a não ser para tomar uma taça de vinho, uma cervejinha…

Mas, claro que fomos a vários restôs e cafés/bares bacanas. Por exemplo, vejam nas fotos a seguir:

Num bar na parte moderna da cidade, por “trás” da Office de Tourisme. No Shopping-mall Les Allés Provençales (tipo uma grande galeria, a céu aberto)

Um drink no Les Allés (ver mapa do shopping-mall aqui ; foto @zenaideaaraujo)

No “Les Deux Garçons“. No Cours Mirabeau. Frequentado antigamente por Paul Cezanne e outras celebridades.

No dia do meu niver. Nada melhor que o ID Bistrô para jantar (mas tem que reservar). Olivier, o proprietário e chef é muito legal! (foto @zenaideaaraujo)

E voltamos várias vezes ao bistrô ID até para tomar uma gela, ou um vinhozinho a qualquer hora do dia.

Mais uma foto do dia de meu niver no ID Bistrô.

Num restô na Place des Augustins (tem vários)

Uma cervejinha “por aí”…

6.1) Vou deixar aqui dicas dos melhores lugares para comer que fomos (ou alguns super bem indicados):

ID Bistrô – De longe o que mais gostamos. Fomos diversas vezes! Comida perfeita, pequeno, aconchegante, um bistrô “de verdade”. Ótimo para jantar. Também em dia de feiras, passe por lá para uma taça de vinho ou uma cervejinha enquanto observa os passantes. Como é pequeno e muito concorrido, melhor reservar. Fica na Rue Peyresc, 4. Telefone:  +33 4 42 67 49 95. Fale com Olivier, proprietário e chef. Aproveite e mande lembranças nossas, dos brasileiros Santiago e Ana (rsrsss). 

– Chez Jo – O melhor restô da Place des Augustins. Aliás, não pode deixar de ir nessa praça. Pequena e animadíssima a qualquer hora do dia!. O Chez Jo fica na Rue Espariat, 59 (uma das ruas que “saem” da referida praça, mas fica bem no centro da praça). Na praça, claro, tem uma fonte (porque em Aix toda praça tem uma fonte!). Falando nessa rua, é uma ótima rua para se andar a esmo. Com várias lojinhas e bares legais!

Jardin Mazarin – Não fomos almoçar como planejamos, por absoluta falta de espaço na nossa agenda (risos). Mas entramos lá e achamos super legal. Tem um jardim e fica nua rua calma na famosa Place des 4 Dauphins (claro que com uma linda fonte ao centro), na rue du 4 Septembre, 15.

Les Deux Garçons – Fica no Cours Mirabeau. Frequentado antigamente por Paul Cezanne e outras celebridades. Nada de comida de excelência (tudo normal), mas bom para curtir os passantes tomando um vinho na mais famosa avenida de Aix.

Le Pain Quotidien – Ótimo para um brunch aos domingos ou mesmo um café-da-manhã qualquer dia. Fica na Praça Richelme, nº5; outra ótima praça, digna de se flanar por lá!

Paul (Padaria) – ótimo local para comprar baguettes e croissants e outros tipos de pães. Tem várias, mas íamos sempre na da Rue Espariat, nº 51.

7) Não Deixe de Ir:

7.1) Na Oficina de turismo – Fica na principal praça de Aix (La Rotonde, com sua bela e conhecida fonte). O endereço mesmo é Les Allées Provençales (na verdade é um mall moderno),  na Avenue Giuseppe Verdi nº 300 (uma das ruas que “sai” da Rotonde). Lá você pega muitas informações importantes sobre passeios, compras, museus, visitas, cidades vizinhas, etc.

7.2) Nas Praças e Fontes (veja com detalhes aqui e aqui) – Por exemplo: La Rotonde (praticamente o símbolo da cidade), a Richelme, a Quatre Dauphins, a Les Augustins (super movimentada), a do Hôtel de Ville (onde estão a Prefeitura/Câmara, a fonte, a biblioteca Halle aux Grains e a Torre do Relógio), a Albertas, a Prêcheurs (onde tem a feira), a Des Cardeurs

Eu, na 4 Dauphins

La Rotonde à noite

Augustins (foto)

De l’Hôtel de Ville (foto)

Nós, na Place des Cardeurs. (foto @zenaideaaraujo)

Eu, “metida” em uma das fontes

Place Richelme (foto)

Fazendo “pose” numa das laterais da Place de Richelme, após um brunch

Eu, na Place Albertas

7.3) No Marché (Feira) – acontece na Place de Precheurs às 3ªs, 5ªas e sábados. A feira de roupas ocorre nas 3ªas e 5ªs (separada das demais) no Cours Mirabeau. Nos sábados, todas juntas na Place de Prêcheurs (ver detalhes no item 3).

7.4) Na Catedral – Fica na Place des Martyrs-de-la-Résistance.

7.4) Em Algum dos Parques (ver todos aqui), como por exemplo os dois já citados no item 5 (o Parque de La Torse e o Jourdan).

7.5) Andar pela Rue Espariat e vizinhas – ruas charmosinhas no centro histórico

7.6) No Cours Mirabeau – a principal avenida de Aix

7.7) No Allés Provençales – É a parte mais moderna de Aix (tipo um mall com boutiques, livrarias, bares, épiceries, etc.), fica no começo do Cours Mirabeau, na Rotonde e por trás…

7.8) Nos bons Restaurantes (como os citados acima no item 6.1)

Au Revoir Aix!                                                              Obs. Para ver o próximo post dessa viagem clique aqui (Marseille).

 

5 (100%) 1 vote


Engenheira por formação, fez doutorado em Madrid onde começou sua paixão pela Europa. Aprendeu, com seus pais, desde criança a gostar de viajar. Adora viajar e diz que "sem viajar não me reconheço"! Escreve sobre suas viagens pelo mundo afora de forma divertida e leve. Escritora por hobby, além desse blog tem dois livros de viagens publicados.

Comentário para Aix-en-Provence: Quase morando lá!

  • Amei Ana! Quando for à Provence seguirei suas dicas! Parabéns querida!????

    Priscila 12 de maio de 2017 23:09 Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...