Site com dicas de viagens.

As Cinque Terre e a “sexta” terre – Na Riviera Italiana

4.7 (93.33%) 3 votes

Depois do post onde falamos sobre conhecer as Cinque Terre de barco e de trem, vamos falar um pouco do que fizemos em cada uma delas, incluindo Portovenere…

O DIA 1 (Portovenere e Monterrosso)

No primeiro dia fomos de barco e voltamos de trem (detalhes do barco e trem no post anterior).

1) Portovenere

Com o pouco tempo que tivemos, na 1ª parada do barco (na tarde do primeiro dia) ficamos apenas 1 hora zanzando por lá! Por que só isso? Porque era o último barco (detalhes no post anterior), já saímos tarde, e queríamos chegar até a última das terres ainda nesse mesmo dia de barco. E depois, o último barco sairia de Portovenere em 1 horinha depois que aportamos lá…

Subimos até o castelo… Uma bela vista…

Visitantes…

Portovenere, vista geral com o castelo acima (foto).

Caminhamos pelas ruelas…

E ainda tivemos tempo para um pedaço de pizza deliciosa!!

Eu gostei de Portovenere, mas talvez pelo pouco tempo, preferi muita mais as Cinque Terre!

2) Em Monterosso Al Mare

A”última” das  Terres (para quem vai de barco desde La Spezia) foi a primeira que conhecemos. Depois da parada em Portovenere, o barco ainda deu uma parada em outras terres mas não descemos.  Resolvemos descer, nesse primeiro dia, somente na “última”!

Ficamos bastante tempo por lá, pois resolvemos voltar de trem.

Primeiro andamos um pouco à esmo, encontramos um bistrô muito bacana (La Prosciutteria) e nos deliciamos com uma “tábua” de frios maravilhosa, enquanto observávamos os passantes. Ah, além dos produtos de primeira qualidade, o casal proprietário era legal e a música ótima!

Não poderia faltar meu aperol-spritz

Delícia!

Amei muito as ruazinhas e suas ladeirinhas, o clima de animação existente, os vários bares, cafés e restôs que iam aparecendo no nosso caminho (todos com “carinhas” ótimas)!

Bares pelo caminho…

Depois descemos em direção à praia (passando por um túnel) e andamos um pouco à beira-mar. Realmente Monterosso é a terre que tem maior faixa de praia. Aí vou contar o “meu segredo”: a mim não impressionou, talvez pelas praias que temos por aqui no nordeste brasileiro. E pasmem: me impressionaram mais os banhos de mar em Manarola e Riomaggiore, praticamente sem areia e só com pedras (achei lindo e diferente – rsrss).

Na Beira Mar de Monterosso

Aí nesse passeio pela beira-mar resolvemos procurar um restaurante que eu tinha visto na internet e parecia top: L’Ancora della Tortuga. Encontramos e amamos a “cara” dele! Com uma super vista, ficava lá no alto da rocha, o cardápio era top, mas…. estava lotado! Sem reserva, nada feito (aconselho reserva e pelo que vi vale super a pena! +39  0187 800065).

Vale uma observação: Nessa viagem não priorizamos reserva de restôs, porque nosso objetivo era esse mesmo, o de não ter compromissos com horários (estávamos numa onda de o que descobríssemos “na hora”, tentaríamos… e se desse certo, ok, e se não, paciência).

Fiquei meio tristinha, mas fomos para outro lá embaixo, com uma vista menos bonita (mas na beira mar mesmo), simplinho e meio com cara de turístico (ôps), mas “quem não tem cão caça com gato”! Como eu queria estar olhando o mar, ficamos nesse com comidinha  mais comunzinha*.

*Obs, Antes até que encontramos outros restaurantezinhos à beira mar, com carinhas mais charmosas, mas como só tinham vagas em mesas internas, preferimos o Nuevo Eden .

Na entrada para o L’Anocora della Tortuga!

O Tortuga dentro

Um vinhozinho local, no restô Nuevo Eden, simples mas “pé na areia” e com vista!

Depois, já anoitecendo, começou a chover. Resultado: saímos do restaurante para a estação de trem debaixo de uma chuva forte (ainda bem que era perto). Pegamos um trem de volta para La Spezia, um dos últimos (eita!). Ou seja, aproveitamos bem o restante do dia!

Um parênteses: Chegamos na estação de La Spezia ainda com chuva. O resumo da ópera é que fomos caminhando debaixo de chuva uns vinte minutinhos (ou mais) até nosso hotel (ôps). Mas, dizem que quem vai pra casa não se molha, né?

O DIA 2 (Manarola, Vernazza, Corniglia e Riomaggiore)

Nesse segundo dia fizemos tudo de trem, como já falamos no post anterior (detalhes sobre o trem? clique aqui)!

3) Manarola

Manarola foi a segunda das Cinco Terre visitada e o terceiro lugar na nossa base de La Spezia (pois no dia anterior visitamos também Portovenere, além de Monterosso).

Bom, Manarola não deveria ser a 1ª pois “pela ordem” desde La Spezia. A primeira seria Riomaggiore. Mas, o que aconteceu? Conversa muita no trem e pah… Perdemos a primeira descida. Sem problemas, sabíamos que poderíamos visitar na volta… Então, rumamos pra Manarola!

Bem, eu achei a mais linda e fofa das Cinque Terre!

Demos um “rolé” por lá, e acreditem que até rolou banho de mar! Amei tudo isso, subimos por um um lado, descemos e etc e tal, mil opções! E,  só não participei do mergulho porque eu não tinha roupas apropriadas. Mas, como o maridote nem se importa, pulou no mar com seu short que secou rapidinho!

Lugar mara!

Manarola linda!

 

Charme de vilarejo!

Olhe aí, que tem até escadinha pra “piscina” do mar!

Banho de mar em Manarola

4) Vernazza

Pegando o trem na saída de Manarola a próxima parada deveria ser Corniglia. Mas, fomos direto para Vernazza porque estava na hora do almoço e queríamos ir num restaurante que havíamos visto no dia anterior quando passamos por la de barco! Então, rumamos…

Chegando em Vernazza fomos direto para o tal restô. Lotado, é claro, mas havia chances. Falamos com a recepção e “colamos” em um dos garçons, e  conseguimos!!! Uhuuu!

Anotem a dica: Restaurante Belforte. Vista maravilhosa e comida boa!

Melhor restô com melhor vista!

Linda vista em Vernazza! Restô Belfort!

Foi assim que encontramos o restaurante no dia anterior, quando aportamos por lá de barco! Olhaê!!!

Depois do almoço, demos uma passeadinha por lá e pegamos o trem. Agora o caminho seria de volta, já que depois de Vernazza só teria Monterrosso que já havíamos conhecido no dia anterior.

5) Corniglia

Corniglia é aquela “terre” que não se alcança pelo mar. Como estávamos de trem, então cinco minutinhos saindo de Vernazza, lá chegamos. Mas, para Corniglia além do trem tem que pegar um shuttle (já inlcuso no preço do trem). Rapidinho subimos até o topo.

O shuttle, um micro-ônibus, parte sempre depois da chegada de cada trem. Se lotar, vem outro em seguida. É possível subir a pé (são quase 400 degraus, uns 20 minutos -aí depende do fôlego-), mas nessa viagem eu não estava a fim de caminhadas não (risos).

Corniglia é muito mais rural, e a paisagem é mais verde, está arrodeada por vinhedos.

Casas…

A paisagem…

5) Riomaggiore

A última das “terres” que visitamos é na verdade a primeira desde La Spezia (que era nossa base), mas como na ida perdemos a parada… Bom, então, já na volta, Riomaggiore foi nossa última parada. E nos surpreendeu!

Entre as boas surpresas, dava para tomar um bom banho de mar! Hahaha! O segundo banho de mar do dia de meu husband porque eu estava impossibilitada (meus trajes não permitiam, pena!).

Desse lugar lindinho, o acesso ao banho de mar…

Muitos mergulhos…

Depois, caminhamos pelas ruazinhas…

Sentamos nos bancos, tomamos uma cervejinha…

E tchau Riomaggiore! Ciao Cinque Terre!

No dia seguinte rumamos para a Toscana…

Próximo post: Lucca!

4.7 (93.33%) 3 votes


Engenheira por formação, fez doutorado em Madrid onde começou sua paixão pela Europa. Aprendeu, com seus pais, desde criança a gostar de viajar. Adora viajar e diz que "sem viajar não me reconheço"! Escreve sobre suas viagens pelo mundo afora de forma divertida e leve. Escritora por hobby, além desse blog tem dois livros de viagens publicados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...
%d blogueiros gostam disto: