Site com dicas de viagens.

Caminho de Santiago: De Zubiri a Pamplona – Etapa 3

Avalie esta postagem

Dia 3) De Zubiri a Pamplona

Como sempre despertamos e cumprimos nosso ritual. Tinha esquecido de falar antes, mas além de guardar nossas roupas já secas nas mochilas, tínhamos também nosso ritual de alongamentos e/ou aquecimentos. Minha coluna e meus pés agradeciam por isso. Café da manhã tomado, pé na estrada outra vez.

Nesse dia iríamos até Pamplona, a maior das cidades de nosso roteiro. Até então havíamos dormido em cidades pequenas, desde a França em St Jean (embora super charmosa) e na Espanha em Roncesvalles e Zubiri (super pequenininhas).

Saímos pela famosa e linda Puente de La Rabia. Dia nublado, mas ainda sem chuvas.

No primeiro povoado, muito charmosinho, encontramos vários peregrinos descansando. Aproveitei pra me alongar. Tentamos tomar um café ou fazer um lanche, mas tudo estava fechado, parecia um povoado fantasma apesar de simpático.

Na entrada do pequeno pueblo

Mais do pequeno povoado...

Mais uma panorama do pequeno povoado…

Nos preparativos pros alongamentos…

Quase o tempo inteiro íamos beirando o Rio Arga, portanto uma paisagem linda. Mas, a certa altura, tivemos que passar por uma fábrica de magnesita, um trecho meio feio.

Aviso: Estávamos perto da zona da fábrica de magnesita…

Mas à frente, à beira do rio, encontramos os mesmo peregrinos (uma turma!) sentados admirando a paisagem. E, sempre passando mais outros e outros. Todos aproveitando pra curtir um pouco a beleza da natureza e tirar fotos. Fizemos o mesmo, claro!

Foto pra “marcar a presença” nas margens do Rio Arga…

A beleza do rio…

Lá “pras tantas” encontramos um bar bem legal. Vários peregrinos já estavam sentados por lá, comendo, bebendo e descansando os pés. Acompanhamos o ritual…

O bar no caminho…

Tira as botas, tira as meias, descansa os pés…

E agora, voltar pra estrada!!!

Depois passamos por outro trecho muito bonito, o rio como sempre “às vistas” e encontramos até um pescador… A partir daí entramos num trecho pela estrada para mais na frente pegar de novo as trilhas…

Um pescador…

e vamos seguindo…

Nesse dia, num trecho de mais ou menos 22 km, passamos por vários povoados (nem sempre “por dentro” deles), como: Ilarratz, Ezikitotz, Larrasoña (com muitas casas floridas, a mais antiga de 1500), Zurain, Irotz, Zabaldika, Arleta, Trinidade de Arre, Huarte, Villava/Atarrabia e Burlada (cidade satélite de Pamplona).

Paradinha para foto… Ao fundo, peregrinos de bike…

Em Zabaldika (e esse carro atrapalhando nossa foto, rsrs)…

O Sol apareceu! E um pouco de calor também…

Vale salientar que vinte e poucos quilômetros com muitas subidas, com terreno acidentado, com chuva e ainda com lama, é difícil. Em 2009 quando fizemos um trecho do Caminho pela Galícia, conseguíamos chegar no nossa meta diária em oito horas no máximo (contando paradinhas pra fotos, pra alongamentos, pra comer, pra visitar alguma das cidades, igrejas, etc.). Dessa vez, gastávamos umas duas horas a mais. Some-se à essas dificuldades do terreno e do clima, às minhas próprias (dos meus pés e da minha coluna), já contadas antes aqui. E, essas duas últimas horas pra mim, sempre foram um suplício, dia após dia…

Pelo caminho…

Antes de Villava começou a fazer calor e tiramos tirar os casacos. Mas, ao chegar lá o vento ficou forte e o frio recomeçou… Villava, Burlada e Pamplona, são cidades que praticamente “se emendam” entre si…

Chegando o calor?

Em Pamplona

Finalmente chegamos a Pamplona, capital da região de  Navarra, com três núcleos murados. Entramos por uma das portas de um desses núcleos.

Entrando em um dos núcleos amuralhados de Pamplona…

Tinha estado em Pamplona há uns vinte anos atrás, numa festa de San Fermin, que por sinal adorei! Mas, sobre isso eu conto em outro texto..

Como Pamplona é uma cidade grande, demorou um pouco pra cruzar a mesma e chegar até o centro histórico, onde estava nosso hotel. Tanto na entrada como na saída, passamos por grandes áreas verdes dentro da cidade.

Chegando em Pamplona… O verde dos parques…

No centro histórico, sacamos umas fotos e…

No centro histórico de Pamplona, em frente à Prefeitura…

… Caminhamos em direção ao hotel, deixamos nossas coisas lá, tomamos um bom banho e fomos pra night! A recepcionista nos indicou um bar que valeu a pena! Lotado de gente, tudo pessoal local (aparentava!) e com comidinha deliciosa, pinchos e tapas de primeira e um bom vinho pra acompanhar. Voltamos pro hotel felizes e um pouco borrachos.

No bar…

Depois dos vinhos, uns chocolates!

Dia seguinte, seria meu cumpleaños. Pela segunda vez iria passar meu aniversário no Caminho de Santiago!

E, sobre os próximos dias, vamos contando, seguindo as etapas que faltam:

Dia 4) De Pamplona a Puente de la Reina

Dia 5) De Puente de la Reina a Estella

Dia 6) De Estella a Los Arcos

Dia 7) De Los Arcos a Logroño

Avalie esta postagem


Engenheira por formação, fez doutorado em Madrid onde começou sua paixão pela Europa. Aprendeu, com seus pais, desde criança a gostar de viajar. Adora viajar e diz que "sem viajar não me reconheço"! Escreve sobre suas viagens pelo mundo afora de forma divertida e leve. Escritora por hobby, além desse blog tem dois livros de viagens publicados.

Comentário para Caminho de Santiago: De Zubiri a Pamplona – Etapa 3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...
%d blogueiros gostam disto: