Site com dicas de viagens.

Minha Aventura em Meteora (by Renata F. Paiva)

Avalie esta postagem

1- Um Destino: METEORA*

O ano era 1998, estava completando 30 anos, e minha mãe pediu para o meu tio Paulo de Tarso elaborar para nós um roteiro pela Europa que duraria dois meses! Uau!!! Dois meses na Europa, fantástico!

Passamos pela França, Itália e Grécia. Ótimo, estava tudo ótimo até aí. Depois da Itália, já no fim na viagem fomos à Grécia por um pedido meu, já que queria realizar um sonho antigo. Chegamos em Athenas, na Praça Sintagma,  já com uma manifestaçãozinha básica de umas 3000 pessoas mais ou menos. Fomos direto para o hotel.

Três dias depois já estava no num paraíso delicioso, a ilha de Santorini. Ficamos cerca de uma semana por lá e deu realmente para aproveitarmos muito! Depois Mikonos, Rhodes, e outras ilhas que não me recordo agora.

Quando faltavam uns três dias para o fim da viagem, minha mãe me disse: Amanhã vamos levantar bem cedo, ás 7 da manhã para irmos a um lugar chamado Meteora, no Poliponésio. Pensei: Não acredito que vou levantar cedo, coisa que eu odeio, e para ir para um lugar que eu nunca tinha ouvido falar! Mas tudo, bem topei a empreitada, lógico!

2- Uma História interessante: 

Às exatas 7 horas da manhã do dia seguinte pegamos um ônibus, que não era lá muito confortável, e partimos. Bem, passadas as duas primeiras horas o ônibus avançava lentamente como uma tartaruga por uma estrada de terra!!! Isso mesmo, de terra!!! E, por um caminho tão estreito que só passava um carro por vez, imagine um ônibus enorme.

Até aí eu não havia bebido uma só gota de água para não ter “aquele probleminha” de querer ir ao banheiro, e pela paisagem ao redor, com certeza não iria encontrar nada! Mas, eis que Deus ou o Diabo me colocaram na pior das situações: Vontade de ir ai banheiro!  E, o pior, não ter como fazê-lo!

Decidi aguentar a vontade de fazer xixi o máximo que pude, até que não deu mais. E, eu já num péssimo humor me levantei e quase implorei ao motorista que parasse em algum lugar para eu ir ao banheiro! Acontece que ele não entendia patavina do que eu falava! Era grego de pai, mãe e avó e não sabia nem dizer good morning! Pensei: Tou ferrada, e agora? Estava com um short jeans e uma camiseta, já que o calor era enlouquecedor em julho. Voltei e falei pra minha mãe, e ela disse: Não posso fazer nada!

Resolvi voltar e pedir mais uma vez ao motorista quase beijando a boca dele!!! Finalmente, ele me avisou que à dez quilômetros havia um bar onde eu poderia ir ao banheiro! Eu não aguentava mais nem um metro, quanto mais dez quilômetros! Enfim, milagrosamente saltei como um raio do ônibus e achei um “banheiro”, que é claro, é modo de dizer, porque era um buraco no chão e você tinha que se equilibrar no meio para não cair. Mas, àquela altura nada, absolutamente nada, importava! Consegui, e sinceramente parecia que havia ganhado na loteria de tão feliz que eu estava! Meu Deus que alívio!!!  Acho que nunca senti tanta dor na bexiga em toda a minha vida!

Bem, após 14 horas (sim, eu disse 14 horas) dentro desse maldito ônibus chegamos para dormir em um lugarejo chamado Kalabanka! Eu estava tão cansada que nem jantei. Desmaiei como uma morta na cama, e odiando meu Tio Paulo por ter nos metido nessa roubada!

No dia seguinte por volta das 9 da manhã pegamos uma van para Meteora.  Meteora é um lugar que foi perdido e esquecido no tempo, literalmente.

3- O que é imperdivel:

O parque nacional de Meteora é composto de  mosteiros ortodoxos, onde os monges vivem sem contato com nada do mundo exterior, mas não me lembro de ter visto na minha vida algo tão belo! Eu, que sempre fui cética com relação a essas coisa espirituais, senti realmente uma energia diferente como a presença de Deus naquele lugar!

São mosteiros encravados literalmente em rochas onde eles vivem ali afastados de tudo. Só se pode visitar dois dos mosteiros existentes, mas mesmo assim já estava ótimo. A visão lá de cima de um deles é algo indescritível de tanta beleza junta. Não se pode entrar nem de calça comprida e muito menos de short, como eu estava. Tive que me recorrer de uma saia comprida,  às pressas, para poder subir!

Até a comida é transportada por um minúsculo carrinho onde só cabem duas pessoas por vez!  Bem, mesmo com todo sufoco que passei recomendo demais esse lugar! Vocês irão sentir algo totalmente novo, uma coisa que vocês  com certeza nunca sentiram antes! No final agradeci ao meu tio e seus roteiros “exóticos” a oportunidade única de verdadeiramente estar em contato com Deus!

 4- Sobre a entrevistada: 

Renata, é natalense e carioca. Nasceu em Natal, mas morou no Rio desde 1 ano de idade. Em 2012, voltou para trabalhar na sua terra Natal. Sempre viveu (e continua vivendo) entre as duas cidades, alternando também, desde os anos 90, com a praia de Pipa. É jornalista e adora viajar pelo mundo afora.

*Obs. Metéora fica na Grécia, e é um dos maiores e mais importantes complexos de mosteiros do Cristianismo do Oriente. Possui seis mosteiros que foram construídos sobre pilares de rocha de arenito na região noroeste da planície da Tessália.  A cidade mais próxima é Kalabáka. O maior pico, em que se localiza um dos mosteiros, tem 549 metros e o  menor tem 305 metros.

Avalie esta postagem


Engenheira por formação, fez doutorado em Madrid onde começou sua paixão pela Europa. Aprendeu, com seus pais, desde criança a gostar de viajar. Adora viajar e diz que "sem viajar não me reconheço"! Escreve sobre suas viagens pelo mundo afora de forma divertida e leve. Escritora por hobby, além desse blog tem dois livros de viagens publicados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...
%d blogueiros gostam disto: