Site com dicas de viagens.

Monsanto e Idanha-a-Velha: Duas Aldeias Portuguesas, com certeza!

Avalie esta postagem

Depois de visitar duas vilas no Alentejo (Marvão e Castelo de Vide) pegamos de novo a estrada e seguimos para o nosso próximo destino: Monsanto, passando antes por Idanha-a-Velha. Foram as duas primeiras aldeias que visitamos dentro do roteiro dessa nossa viagem de carro por Portugal. 

Só relembrando que nosso objetivo principal nessa viajem era conhecer cidades pequenas, vilas e aldeias.

Nesse dia percorremos em torno de 150km.

Como esse lado português é fronteira com a Espanha, às vezes entrávamos e saíamos da Espanha quase sem notar, a não ser pelas placas. Então, nesse caminho passamos por Alcântara e por essa ponte magnífica:

A Ponte

Nosso carro alugado parado para admiramos a Ponte

Bom, voltando à Portugal e às aldeias metas de nosso dia…

Monsanto detém o título de Aldeia Histórica de Portugal e de Aldeia Mais Portuguesa de Portugal. As pedras dominam a paisagem, as casas e tudo o mais. Tem um castelo medieval no topo da colina (à 768 metros de altitude) onde a aldeia se encontra, e está classificado como Monumento Nacional desde 1948. Monsanto fica na encosta de uma elevação escarpada – o cabeço de Monsanto (Mons Sanctus).

Monsanto, uma aldeia de pedras…

Idanha-a-Velha é também uma aldeia histórica, famosa por ter muitos ruínas e escavações arqueológicas de grande valor,  ou seja muitos vestígios monumentais que constituem um valioso patrimônio histórico.  A cidade fica no espaço onde existiu uma cidade de fundação romana.

A Igreja de Sta Maria/Sé em Idanha-a-Velha e vestígios romanos

As duas ficam praticamente vizinhas, no concelho de Idanha-a-Nova, distrito de Castelo Branco (sobre essas divisões portuguesas já comentamos no post anterior e no do roteiro).

Os Distritos de Portugal. Em azul (no centro) está Castelo Branco, onde ficam Monsanto e Idanha-a-Velha.

A partir desse mapa, que já havia postado no roteiro, se pode ver por onde passamos: 1) saímos de Aveiro; 2) descemos por Coimbra, até Santarém e Portalegre; e 3) começamos a subir de novo pelo outro lado, agora por Castelo Branco.

1) Nossa visita à Idanha-a-Velha

Estacionamos o carro e demos um rolé pela aldeia. Fomos até a Igreja de Sta. Maria, onde há escavações com vestígios de obras antigas, andamos mais um pouco … e entramos em um bar para tomar água, café…

Praça com Pelourinho

Igreja de Sta Maria

Portal nas muralhas

Pelas ruelas…

Forno Comunitário* em Idanha

*“O Forno Comunitário é um marco da aldeia histórica de Idanha-a-Velha. Serve à comunidade, que pode fazer pão, bolos e outros produtos, mas é também um cartaz turístico que cativa os visitantes” (fonte).

Casas…

Ruelas…

Depois dessa breve visita seguimos para Monsanto, onde iríamos ficar o resto do dia e dormir por lá! Lembrando que como o dia é longo nessa época do ano, aproveitamos bastante!

2) Nossa estadia em Monsanto

O Hotel – Nos hospedamos na Casa Pires Mateus. Uma interessante casa “de pedras”, transformada em hotel com poucos quartos. Super central (aliás a aldeia é bem pequena então tudo é central)! Proprietários simpáticos, que, além de conversarmos muito, nos deixaram bem à vontade com se estivéssemos em casa.

Almoço – Procuramos um lugar para almoçar, e o primeiro que nos foi indicado estava lotado. Então fomos à procura do segundo, Petiscos & Granitos, que nos deixou bastante satisfeitos com a paisagem que tínhamos à nossa frente (sentamos na esplanada, como chamam os portugueses).  As pedras sempre fazendo parte da paisagem e, no caso, também das paredes do restô. A comida era boa e foi bem legal almoçar com aquela bela vista.

Vista da esplanada do restô “Petiscos e Granitos”

Dentro do restô uma frase de J. Saramago! “De pedras julgava o viajante ter visto tudo. Não o diga quem nunca veio a Monsanto”.

No Castelo – Depois, resolvemos subir até o castelo. A medida em que subíamos íamos encontrando lugares interessantes, como casas minúsculas muito antigas (desabitadas), fossos, mirantes, pedras e mais pedras!  A subida é um pouco cansativa, mas vale a pena!

O que se vê na subida ao castelo…

Lindas paisagens…

 

No Castelo:

No castelo

No castelo

Um Bar – Na volta, na descida do castelo, sentamos em um bar que pareceu legal (Forum do Viriato Drinks). Tomamos um cerveja e ficamos um tempinho a admirar mais a paisagem!

No Forum do Viriato Drinks. Por isso prefiro ficar nas terraças (esplanadas) dos restôs e bares. Pelas belas vistas, ou mesmo para ver os passantes!

Passeando por Monsanto – Descansamos um pouco no hotel e depois saímos para dar mais um passeio. A aldeia é bem pequenina e ficamos a dar voltas… Passamos por alguns dos lugares de interesse, como a Torre de Lucano (ou do Relógio) e outros que se pode ver aqui nesse site português!

A beleza da mistura das pedras com as flores coloridas nas estreitas ruas de Monsanto!

O Jantar– Depois de um tempo resolvemos ir no restaurante “Adega Tipica O Cruzeiro“, o mesmo que havíamos ido na hora do almoço e que estava lotado. No jantar estava bem melhor, sem tumulto, e nos deparamos com uma bela vista.O restaurante é moderno e parecia nem combinar com a aldeia. Mas até que combinou. A comida era muito, muito boa! Valeu!

Saúde!

Voltamos para o hotel, dormimos e zarpamos no dia seguinte para o Douro.

Avalie esta postagem


Engenheira por formação, fez doutorado em Madrid onde começou sua paixão pela Europa. Aprendeu, com seus pais, desde criança a gostar de viajar. Adora viajar e diz que "sem viajar não me reconheço"! Escreve sobre suas viagens pelo mundo afora de forma divertida e leve. Escritora por hobby, além desse blog tem dois livros de viagens publicados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...