Site com dicas de viagens.

Paris: Sempre é bom voltar! (4)

Avalie esta postagem

securedownload (26)Vamos contar um pouco do nosso sexto dia em Paris!

Desde a véspera (contei aqui), que não tínhamos planos “fechados”. Sabíamos que queríamos “andar por aí”, especialmente por St Germain e arredores. De toda forma, tínhamos um almoço agendado desde o Brasil. E só!

Assim, saímos depois do petit déjeuner tomado no hotel (preferimos sempre tomar o café da manhã em boulangeries ou Cafés, mas nos foi oferecido pelo hotel, então…). Resolvemos passear pelos Jardins de Tuileries! Chegamos lá rapidinho caminhando pela Rue Seine, rua do nosso hotel.

Ao chegar nas margens do rio Sena já víamos “de cara” o Louvre, e ao seu lado, os Jardins. Podíamos chegar ao Museu atravessando quaisquer das três pontes que estavam super perto de nós, após chegar ao fim da Rue de Seine: A Pont des Arts, A Pont Neuf (mais para a direita) e a Pont du Carroussel (para a esquerda), e ainda a Pont Royal um pouquinho mais pra lá…

E não deu certo passear de bicicletas…

Antes de atravessar a ponte du Carroussel (ou foi a Royal?), encontramos um ponto de bikes de aluguel. Já havíamos pensando em fazer um programa de bike e parecia ser agora a hora, pois o dia estava lindo e com sol! Acontece que tentamos (e muito!) pagar com nossos cartões de crédito, e nada! Apesar de super barato (1 euro e pouco -por hora-, acho) a máquina não aceitava moedas, e parece que só aceitava cartões de débito franceses. Que pena!*

*(Pra quem quiser mesmo alugar bicicletas em Paris, consulte antes o site oficial!)

Tentando comprar algumas horas de passeio de bike...

Tentando comprar algumas horas de passeio de bike…

... Pena que não conseguimos.

… Pena que não conseguimos.

Nos Jardins de Tuileries

Seguimos em frente e começamos a caminhar pelos Jardins de Tuileries. Muita gente também caminhava por lá… Afinal, o dia estava lindo!

Jardins de Tuileries

Jardins de Tuileries num dia lindo!

Jardins de Tuileries

Jardins de Tuileries

Nos Jardins de Tuileries

Nos Jardins de Tuileries

Lá na frente, já dava pra ver a roda gigante, a qual em outra viagem à Paris eu “amarelei” e não fui, embora Santiago (mon mari) tivesse insistido. Pra compensar essa minha “covardia”, alguns anos depois fui na de Londres, que é super tranquila! Bom, na verdade estava nos meus planos “experimentar” essa de Paris, dessa vez. Planos apenas “na minha cabeça”, mas já tinha tentado ir no 2º dia, e não consegui porque choveu na hora que pensei em ir… Mas, agora parecia que daria certo. Seria a hora?

Olha ela lá!

Olha ela lá!

Topa “uma volta” na Roda Gigante?

Ao chegar perto da roda falei pra Santiago: Vamos? Dessa vez ele não parecia muito entusiasmado, mas topou. Tínhamos que voltar para o hotel em torno das 11;30 da manhã porque eu queria me arrumar para o almoço… E a fila? A tal fila aumentou com um monte de crianças que conseguiram chegar primeiro que nós! Ufa! Mas, minha vontade de desafiar a mim mesma era tanta que resolvi enfrentar a fila. Contando os minutos, preocupados se daria tempo, seguimos em frente.

Chegou nossa vez e observei que a cabine não era tão grande e nem tão estável quanto a de Londres. E agora? Bom, já tava ali… Entrei, somente eu e Santiago numa das cabines, e comecei a ficar com medo. A coisa balançava um pouco. Ai Mon Dieu! A roda começou a girar, Santiago tirando fotos e mudando de lugar, e eu entrei em pânico! Minha gente, o negócio foi punk (pra mim, porque todo mundo tava se divertindo!) e eu gritei, esperneei, quase chorei… Ainda bem que éramos só nós dois na cabine, hehehe! Mas, “entre mortos e feridos” o medo foi passando e aproveitei melhor o segundo giro… Valeu! É legal ver Paris de cima!

E depois passou o medo, rsrss...

E depois passou o medo, rsrss…

Uma passadinha pelo Louvre…

Tínhamos ainda uma meia hora de caminhada até o hotel e já era quase meio dia. O almoço tava marcado para a 1 da tarde, e nosso amigos suíços também iriam. Mesmo assim, ainda deu pra passar pelo Louvre, dar uma olhada na Pirâmide e tirar umas fotos…

Revendo a pirâmide do Louvre

Revendo a pirâmide do Louvre…

Nosso Almoço

No hotel, trocamos de roupa, etc. e tal, e seguimos rumo ao La Societé. La Societé** é um restaurante moderno, frequentado pela sociedade parisiense. É um dos pontos badalados de Paris.

**(É um empreendimento dos irmãos Costes, idealizadores de outros negócios de sucesso como o restaurante L’Avenue. O “La Societé” não tem indicação, só faz reserva por telefone, e só o encontra quem já sabe, pois nem tem nome no prédio e nem na porta de madeira que o antecede...  Ou seja, não tem interesse em “juntar” gente, e apesar de estar perto de pontos turísticos, passa desapercebido).

Em frente ao "La Societé".

Em frente ao “La Societé”.

Lá encontramos nossos amigos e almoçamos.  Legal o ambiente, comida boa mas nada de especial (pelo menos a minha)! Saímos de lá um pouco tarde, pois conversamos bastante com nossos amigos…

Mais andanças…

Voltamos para o hotel (que era pertinho do restaurante), troquei minhas botas por umas “sem salto” e voltamos a caminhar pelo bairro. Caminhamos pelo já familiar Boulevard St Germain e fomos em direção ao St Michel, por onde andamos até chegar a Fonte do mesmo nome. Muito bom rever alguns monumentos de Paris!

Na Fonte St. Michel

Na Fonte Saint Michel

Continuamos nossa caminhada beirando o Sena e fomos até o belo edifício do Hôtel de Ville***. Voltamos pela Rue de Rivoli

***(O Hôtel de Ville é considerado um marco turístico pelos franceses e pelos estrangeiros. Lá é onde fica a administração da cidade (a prefeitura), é o local de trabalho e reuniões do presidente do município -“o prefeito”- e também é onde há grandes recepções).

"Hôtel de Ville"

“Hôtel de Ville”

E um bom Jazz…

Depois de descansar no nosso hotel, saímos a noite para o Chez Papa, onde assistimos a um jazz maravilhoso! Valeu o dia e a noite!

O que mais?

E ainda tem mais histórias dos dias seguintes…  Aqui tem mais!

Avalie esta postagem


Engenheira por formação, fez doutorado em Madrid onde começou sua paixão pela Europa. Aprendeu, com seus pais, desde criança a gostar de viajar. Adora viajar e diz que "sem viajar não me reconheço"! Escreve sobre suas viagens pelo mundo afora de forma divertida e leve. Escritora por hobby, além desse blog tem dois livros de viagens publicados.

Comentário para Paris: Sempre é bom voltar! (4)

  • Ana Celia, estou gostando de suas dicas, estamos pensando em conhecer Paris esse ano.

    Evane Lopes Tavares 13 de janeiro de 2014 19:37 Responder
    • Obg. Evane!Qualquer dúvida me diga. Veja que já tem alguns posts anteriores com dicas pra quem nunca foi!So checar em “PARIS”! 😉

      Ana Célia 13 de janeiro de 2014 21:08 Responder
  • Adorei “ouvir” de Paris! continue contando, continuarei lendo com prazer.

    Gorete Macedo 13 de janeiro de 2014 20:10 Responder
    • Merci!

      Ana Célia 13 de janeiro de 2014 21:05 Responder
  • Relato sensacional. Dá vontade de saber logo o restante!!!

    Zenaide Alves de Araujo 13 de janeiro de 2014 21:17 Responder
  • Depois do medo, né, o sorrisão!
    Fechando com chave de ouro com o jazz. Pra que melhor?
    Tudo muito mágico.
    E continuo o passeio por Paris contigo…

    Marcia Duarte 14 de janeiro de 2014 23:54 Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...
%d blogueiros gostam disto: