Site com dicas de viagens.

Restaurantes em Saint-Germain-des-Prés, Paris

Avalie esta postagem

41289Lendo o livro de Eros Grau* e preparando meu plano de viagem a Paris (digo, a Saint-Germain, porque dessa vez irei curtir esse Quartier), aproveito, e já vou passando aqui essas dicas maravilhosas para os leitores.

*Paris – Quartier Saint-Germain-des-Prés; Editora Globo

Vamos às dicas dos restaurantes:

Le Perron (italiano)- A bruschetta e a saltibanca alla romana são recomendadas!

La Locanda (francês e italiano) – Sugestão: Trufas (carpaccio, ovos mexidos ou fettucine: Tudo com trufas!)

Obs.1. Na Rue de Dragon onde fica o La Locanda existem outros restaurantes citados por Eros Grau, mas ele ressalta que só frequenta(va) o La Locanda e o extinto Enzo na dita rua. Os outros restaurantes (bons) da rua de Dragon são: Lilas, La Dome, L’Epi Dupin, La MediterranéeBistrô d’Henri, Vagenende e La Marlotte. Diz ainda que o La Coupole e o Le Procope ficam para turistas (é a opinião dele!).

Obs.2: Um amigo, Joenilson (que adora o Quartier Saint Germain) , diz que gosta muito do La Locanda, mas na Rue de Dragon o melhor é o lendário Le Chardenoux de Prés do premiado chef Cyrill Linac. Diz também que o L’Epi Dupin, citado acima é excelente também, mas agora está na Rue Dupin. 

Allard (francês) – Indicado pelo Guia Zagat. O que é especial: As Coquilles Saint Jaques com molho de manteiga branca, e o cordeiro!

Lapérouse (francês, desde 1776) –  Indicado pelo Guia Michelin. Carne maravilhosa! Dizem que Baudelaire andou muito por lá (antigamente os quartos do 1º andar eram usados para encontros amorosos!).

laperouse

Lapérouse

Josephine Chez Dumonet– (francês). Indicado pelo guia Zagat. Um dos últimos bistrôs no estilo antigo, “Belle Époque”, de Paris, existente. Adega excelente!

Pré-aux-Clercs – (bistrô francês). Custo-Beneficio ótimo. Descoberto por Hemingway e Hadley nos anos vinte, quando se hospedavam no hotel Jacob, em frente.

6112160963_f769cd0a10

Pré-aux-Clercs

Le Bilboquet – (francês tradicional, cozinha diversa). Club de jazz, por onde já passaram grandes nomes do jazz como Miles Davis,  Duke Ellington e Art Blankey.

La Petite Chaise Indicado pelo Guia Michelin e pelo site “Local Luxe“.  O mais antigo restaurante de Paris, desde 1680. Eros Grau diz que o Le Procope**, tido como tal, só surgiu em 1686 e era apenas um Café em sua origem! Eros diz ainda que o La Petit Chaise apesar de não ser um restaurante com comida notável, o que importa é que lá nos transportamos para os século XVII. De toda forma, vários guias importantes o citam entre os melhores restaurantes de Paris.

restaurant_paris_5G

Le Petit Chaise

**Obs. 1(Eros diz não ter nada contra o Le Procope mas o acha apenas uma brasserie muito “normal”, como tantas outras, e frequentado atualmente mais por turistas. Embora, no passado, dizem ter sido frequentado por famosos como Voltaire, Rousseau, Marat, entre outros)!

**Obs. 2 (Entretanto, alguns amigos “viajados” disseram que o Le Procope ainda é muito bom e apesar de ter turistas tem também muitos parisienses. Entre esses amigos estão Ana Lucia da Mata, que já morou na França, e Joenilson,  que de tanto ir a Paris, e especialmente  hospedar-se em Saint Germain, pode dizer com segurança que “é um excelente restaurante e já passou de sua fase de ser turístico , eu também não gosto de turísticos, mas posso afirmar que se trata de um ótimo restaurante!”.

Armani– (Cozinha Italiana-Milanesa combinada com a tradicional e moderna cozinha). Indicado pelo Guia Michelin. O restaurante do Armani, moderno, está no lugar do antigo Drugstore. Eros Grau disse que lá come-se bem e o atendimento é bastante gentil.

1f0ebf73b3a31ac56871de005f100c2d_head_format

Armani

Bocca della Veritá – (italiano) – Donas simpáticas…

Les Botanistes – (autêntico bistrô francês, imperdível, segundo Eros). Experimente o foie gras!

La Ferronnerie – Indicado pelo Guia Michelin. “Vinho da casa, Cozinha fraterna, amizade farta”.

Le Lipp** – (cozinha tradicional). Indicado pelo guia Zagat. O Site Conexão Paris diz que “a brasserie Lipp não é só uma brasserie parisiense, ela é o símbolo do savoir vivre francês. Ela faz parte daqueles endereços incontornáveis de Saint Germain”. Eros Grau considera almoçar ou jantar na Lipp como se estivesse fazendo parte de um filme, onde você é também um coadjuvante. Com cenas, figurantes, atores. Ele diz que na Lipp tudo é possível! Então, tou dentro! Adoro lugares que imitam filmes!

**Desde sua criação, em 1880 por Lipp Brasserie de Léonard goza de uma reputação como um lugar literário e político. Por lá passaram todos os grandes nomes que marcaram a literatura francesa (Gide, Malraux, Proust, St Exupéry, Camus, Sartre…).

2162018

Quase esquecia de falar no La Societé, o qual já está na minha agenda! O livro “Paris para amar Paris” (de Vicente Frare) dá uma boa indicação dele e o site Conexão Paris diz que ele “virou um anexo do Flore, se um estiver lotado, corra para o outro”. Meu amigo do insta Joenilson, também indicou-o. Mas, o que me havia chamado atenção sobre ele, foi que em vários blogs (como o Viver Paris) quando eu pesquisa esse meu próximo destino,  é que diziam que o La Societé, apesar de ser um restaurante imperdível,  não tem interesse em aparecer. Vai lá, quem sabe. O boca-a-boca é o que funciona, pois até a entrada e super discreta, e no se site você só vai encontrar telefone e endereço, nada mais!  

E pra completar vou copiar aqui o que li no site Viver Paris: “Os irmãos Costes parecem mesmo ter descoberto o toque de Midas: idealizadores de empreendimentos de sucesso como o Hotel Costes e o restaurante L’Avenue, eles montaram recentemente em Paris o très, très chic restaurante La Société – que já é um dos points mais badalados da cidade. Instalado em um discreto edifício de 1851, é um restaurante com feitios de jazz bar, sendo considerado um dos negócios mais sofisticados dos irmãos Costes. Apesar de ficar em uma das áreas mais movimentadas do quartier Saint-Germain, o restaurante comumente passa despercebido para quem não o conhece, graças a uma singela porta de carvalho, também do século XIX, que discretamente mantém bem guardada a essência do La Société.”. Nesse eu vou!

Depois, falaremos sobre os Cafés de Saint-Germain-des-Prés, Paris! Ver aqui.

Nota: Mais textos e dicas em geral s/ Paris clique aqui (tudo no blog).

Avalie esta postagem


Engenheira por formação, fez doutorado em Madrid onde começou sua paixão pela Europa. Aprendeu, com seus pais, desde criança a gostar de viajar. Adora viajar e diz que "sem viajar não me reconheço"! Escreve sobre suas viagens pelo mundo afora de forma divertida e leve. Escritora por hobby, além desse blog tem dois livros de viagens publicados.

Comentário para Restaurantes em Saint-Germain-des-Prés, Paris

  • Muito bom o post sobre Saint Germain, e também dicas muito boas de restaurantes nesse quartier que é a melhor parte da Rive Gauche. Parabéns!

    Joenilson 15 de dezembro de 2013 15:34 Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...
%d blogueiros gostam disto: