Site com dicas de viagens.

UM GIRO DE TREM PELA SUÍÇA – 4: Interlaken (por Zenaide Alves)

Avalie esta postagem

1280px-Europe_Pictures_0011) Um Destino: SUÍÇA (de trem)

Zurique, Lucerna, Berna, Interlaken, Genebra, Zermatt,  St. Moritz e  Lugano.

2) A história da Viagem

Como já contamos antes queríamos conhecer a Suíça e viajar de trem. Assim, unimos o útil ao agradável. Nos três posts anteriores já descrevemos nossas andadas por Zurique, Lucerna e Berna. Agora vamos ao relato de Interlaken, a 4ª cidade do roteiro, localizada nos pés dos Alpes suíços.

(Foto acima: fonte).

De Berna até a estação Interlaken West, que era próxima ao nosso hotel, a viagem durou 45 minutos e ao ver a cidade, cujo nome já indica que fica entre  lagos, o Brienz e o Thun (Brienzersee e Thunersee), ficamos encantados.

Foto 09

Interlaken

3) Interlaken: O que é imperdível

Obs. Inicial: A cidade é principalmente um ponto de partida para explorar os arredores. Entre as principais atrações estão as montanhas da região de Jungfrau, incluindo o Jungfrau (4.158 m) o Mönch (4.107 m) e o Eiger (3.970 m). Embora os picos das montanhas sejam acessíveis apenas para montanhistas, uma seqüência de conexão ferrovias de montanha dá acesso ao Jungfraujoch  (3.454 m) entre o Jungfrau e o Mönch, que é o ponto mais alto da Europa acessível por trem.

Logo após deixarmos as malas no hotel voltamos à estação e compramos os tíquetes para irmos ao Shilthorn* naquela mesma manhã e ao Jungfraujoch** no dia seguinte. De todos os trens de montanha que andamos na Suíça o do Jungfraujoch foi o mais caro; nossos tíquetes custaram 129 francos suíços cada um, já com o desconto de 25% do swisspass.

*É uma montanha com uma altura de 2.970 m. Desde que James Bond conquistou o Schilthorn no filme “A Serviço Secreto de Sua Majestade”, este pico ficou conhecido também como Piz Gloria (restaurante).

Schilthorn (fonte)

Schilthorn (fonte)

**Jungfraujoch, o “topo da Europa”, é  uma das atrações turísticas mais conhecidas da Suíça, e a estação de trem é também uma maravilha da engenharia moderna. O Jungfraujoch é, na realidade, um complexo cravado dentro da rocha e do gelo. Fica entre duas das mais imponentes montanhas dos Alpes: Mönch e Jungfrau. A bela região foi declarada pela  Unesco patrimônio natural da humanidade. 

Shilthorn 

Para fazer a round trip ao Shilthorn são necessárias várias trocas de trens e teleféricos, sendo que em Mürren, onde o tráfego de automóveis é proibido, anda-se por volta de 15 minutos desde a estação de trem até a estação do teleférico. O perigo é desistir de continuar o caminho e ficar lá mesmo, de tão linda que é a cidade. Todo o percurso é sincronizado e bem sinalizado, não há chance de erro.

Ao chegarmos lá em cima do Shilthorn, tivemos uns 10 minutos (no máximo) para apreciar a belíssima vista dos Alpes Berneses. Chegamos a identificar o Jungfrau, o Mönch e o Eiger, mas, depois disso, aquela neblina espessa que vinha nos acompanhando chegou e acabou com a deslumbrante visão.  Daí desistimos de ir ao famoso restaurante giratório Piz Gloria, conhecido através do filme 007 – A Serviço de Vossa Magestade, filmado lá no topo do Shilthorn e voltamos por outro caminho para Interlaken, fazendo as constante trocas de meio de transporte (na volta até ônibus foi utilizado).

Shilthorn

Shilthorn

Jungfraujoch

Na manhã seguinte saímos para o passeio mais esperado, o Jungfraujoch, localizado logo abaixo do pico da Jungfrau e conhecido como o “O Topo da Europa”. Essa estação de trem está a 3.454 m acima do nível do mar e é a mais alta a Europa. Aqui também o sistema é de round trip. Nosso caminho de ida foi por Lauterbrunnen e o de volta por Grindelwald.

Desde Interlaken até Jungfraujoch há várias trocas de trens, sendo o trecho mais alto, a partir de Kleine-Scheidegg o mais impressionante, com túneis escavados na montanha Eiger.  Lá em cima, além de restaurantes e cafés, pode-se caminhar pela neve, fazer o tour de 250 metros Alpine Sensation, com alguns trechos com esteira rolante e que conta a estória a Jungfrau Railway, assisir um áudio visual sobre os Alpes, entrar num túnel escavado no gelo e ver belas esculturas também de gelo ou simplesmente apreciar a magnífica paisagem. E dessa vez, nenhuma neblina atrapalhou nosso passeio!

Jungfraujoch – Topo da Europa

Jungfraujoch – Topo da Europa

No último dia em Interlaken, a manhã foi de chuva forte e somente à tarde saímos do hotel e fizemos um passeio pelo lago Thun, admirando a beleza ímpar daquela região.

Lago Thun (fonte)

Lago Thun (fonte)

Obs. Depois podem ver as cidades seguintes à Interlaken, visitadas nessa viagem por trem, clicando em  GenebraZermatt , St. Moritz e Lugano

4) Sobre a entrevistada: 

Zenaide Alves de Araújo, natalense, casada, três filhos e um neto. Engenheira Civil, com mestrado e doutorado em Engenharia Mecânica e hoje professora aposentada do Departamento de Engenharia Mecânica da UFRN. Adora viajar, fotografar e colecionar canecas dos lugares por onde passa.

Avalie esta postagem


Engenheira por formação, fez doutorado em Madrid onde começou sua paixão pela Europa. Aprendeu, com seus pais, desde criança a gostar de viajar. Adora viajar e diz que "sem viajar não me reconheço"! Escreve sobre suas viagens pelo mundo afora de forma divertida e leve. Escritora por hobby, além desse blog tem dois livros de viagens publicados.

Comentário para UM GIRO DE TREM PELA SUÍÇA – 4: Interlaken (por Zenaide Alves)

  • Que inveja… um ainda faço um passeio desses!!

    Martins 10 de outubro de 2014 21:03 Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...
%d blogueiros gostam disto: