Site com dicas de viagens.

UM GIRO DE TREM PELA SUÍÇA – 7: St Moritz (por Zenaide Alves)

Avalie esta postagem

800px-StMoritz-011) Um Destino: SUÍÇA (de trem)

Zurique, Lucerna, Berna, Interlaken, Genebra, Zermatt, St. Moritz e Lugano.

2) A história da Viagem

A história do começo dessa viagem foi contada desde o primeiro post referente a esse “giro de trem pela Suíça”. Sobre as cidades anteriores do roteiro você pode ver clicando em Zurique, Lucerna, BernaInterlakenGenebra e Zermatt. Agora é a vez de falarmos de St Moritz.

(foto 1: créditos commons.wikimedia.org)

Chegamos a St.Moritz no final da tarde e, como havíamos solicitado o serviço de transfer do hotel, que era oferecido gratuitamente, lá estava o motorista português à nossa espera e, em poucos minutos já estávamos acomodados em nosso quarto.

Fizemos a reserva para o jantar no próprio hotel, que tinha um bom restaurante e uma maravilhosa confeitaria. A amabilidade das pessoas que trabalham nesse hotel nos chamou a atenção: entre outras coisas, ao chagarmos ao restaurante o funcionário que nos recepcionou e nos levou até  a nossa mesa, nos cumprimentou falando nossos nomes, antes mesmo de falarmos qualquer coisa!

3) O que é imperdível (em St Moritz)

Na manhã seguinte fomos à estação de trens, pois decidimos, em cima da hora, fazer a viagem para Lugano pelo Bernina Express e tínhamos que fazer reserva de assentos. De lá, fomos conhecer o Muottas Muragl, uma das muitas montanhas que fazem a fama de St. Moritz como excelente local para a prática de esportes de inverno e também para caminhadas e montanhismo no verão.

Subimos por um funicular e passamos quase toda a manhã por lá, pois a vista é arrebatadora! Tomamos um café apreciando a cidade e o lago St. Moritz lá do alto.

Muottas Muragl

Muottas Muragl

A cidade tem dois distritos, o St. Moritz-Bad, onde ficam suas famosas fontes termais e St. Moritz-Dorf, com excelentes hotéis e restaurantes, ruas elegantes  e comércio sofisticado. Como nosso tempo de permanência era muito curto ficamos apenas em St. Moritz-Dorf. Caminhamos um pouco em torno do lago (o vento gelado fez com que a caminhada fosse curta) e pelas ruas próximas ao hotel. No dia seguinte tínhamos uma longa viagem pela frente!

Lago St. Moritz

Lago St. Moritz

Rua no Distrito St. Moritz-Dorf

Rua no Distrito St. Moritz-Dorf

Bernina Express  (para Lugano)

 Utilizando o transfer gratuito do hotel, chegamos à estação para embarcar no Bernina Express. A primeira parte do trajeto, que para nós começava em St. Moritz, mas que pode começar também em Chur ou Davos, e vai até a cidade italiana de Tirano, é feita num trem panorâmico e dura 2 horas e 10 minutos (para quem embarca em St. Moritz). Em Tirano, após 1 hora de espera, embarcamos num ônibus com destino a Lugano, aonde chegamos após mais 3 horas de viagem. No total um pouco mais de 6 horas!

Como deixamos para marcar nossos assentos na véspera da viagem e não fizemos up grade para a primeira classe porque achamos que não valeria a pena num percurso de 2 horas e 10 minutos, só conseguimos assentos no corredor, o que dificultava sobremaneira apreciar a paisagem e fotografar. Fizemos poucas fotos e não conseguimos registrar nem mesmo o espetacular viaduto que, numa espiral, faz uma curva de 360 graus e é o cartão postal da rota do Bernina Express!

Um tanto quanto frustados, chegamos em Tirano e fomos direto para a  estação rodoviária, do outro lado dos trilhos e com acesso por uma passagem subterrânea, enquanto que a maioria dos passageiros foi almoçar.

A viagem de ônibus, também com belíssimas paisagens, teve um outro problema: como a estrada, em quase toda a sua extensão, era estreita e sinuosa, fiquei tonta e enjoada!  Aí dei graças a Deus não ter almoçado em Tirano!

Sobre Lugano, para ver o relato clique aqui.

4) Sobre a entrevistada: 

Zenaide Alves de Araújo, natalense, casada, três filhos e um neto. Engenheira Civil, com mestrado e doutorado em Engenharia Mecânica e hoje professora aposentada do Departamento de Engenharia Mecânica da UFRN. Adora viajar, fotografar e colecionar canecas dos lugares por onde passa.

Avalie esta postagem


Engenheira por formação, fez doutorado em Madrid onde começou sua paixão pela Europa. Aprendeu, com seus pais, desde criança a gostar de viajar. Adora viajar e diz que "sem viajar não me reconheço"! Escreve sobre suas viagens pelo mundo afora de forma divertida e leve. Escritora por hobby, além desse blog tem dois livros de viagens publicados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...
%d blogueiros gostam disto: