Site com dicas de viagens.

Um giro pela Itália: Lombardia, Ligúria, Vêneto, Emilia-Romagna, Toscana e Costa Amalfitana (by Lucy Collier)

Avalie esta postagem

securedownload (3)Um Destino: Itália

Fizemos um giro pela Itália, começando assim… Vamos dividir por regiões ou províncias!

Lombardia

Final maio de 2011, desembarcamos em Milão. Milão sempre há o que se ver, então passamos uns dois dias por lá.

Ligúria

Alugamos um carro em Milão e fomos para Santa Margherite de Liguri, onde nos hospedamos no Hotel La Locanda de Colombo. É uma linda cidadezinha-balneário. De lá fomos a Porto Fino que é famosa internacionalmente pelo seu turismo exclusivo, sinônimo de elegância e sofisticação à beira-mar. Um charme!

Portofino

Portofino

Depois, fomos a Cinque Terre, pela costa, por uma estrada cheia de túneis e com um mar muito azul à vista. Fazia parte da paisagem, também, lindas serras. Passamos também por inúmeras cidades pequenas pelo caminho. Cinque Terre não tem acesso de carro – alguns hotéis tem serviço de transfer, mas são bem caros… Passamos um dia por lá. Estacionamos o carro em um estacionamento público e descemos a pé. Pegamos um trenzinho para chegar nas outras cidades. O trenzinho faz um percurso  ligando as cinco cidades (Monterosso, Vernazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore).

Manarola

Manarola

Toscana

O próximo destino foi Arezzo, já entrando na Toscana. Arezzo foi cenário do filme que Roberto Benigni dirigiu e atuou (A Vida é Bela). Lá, é bom caminhar por suas ruelas, pelas suas ladeiras, “entrando nas lojas de comidinhas, nas de roupas (algumas de grife) e nas de suvenires”…

A Toscana começou a aparecer e começamos a gostar do que víamos.

Depois, fomos para Lucca onde ficamos num hotel fora da muralha (existem alguns dentro da muralha também). Esse hotel foi antigamente o palácio da prima de Napoleão Bonaparte, com jardins imensos com labirintos de árvores, onde podemos nos perder porque é agradável circular nesses jardins. Os móveis também são da época, e muitos deles sequer se podia tocar, funcionava quase como um museu.

Lucca tem ruelas medievais, de traçado aparentemente regular, mas que escondem labirintos complicados. Muito legal! Comemos na Tratoria Stefani, que recomendo. O restaurante Buca  S. Antonio é também altamente recomendável. Saindo de lá, almoçamos num restaurante de beira de estrada ótimo.

Passamos por Pisa, mais conhecida pela sua famosa Torre torta, e fomos até Florença. Florença merece no mínimo quatro dias, tanto por seus arredores, como pela sua parte cultural e artística. Para dicas em Florença, veja mais aqui.

Na Toscana rural fomos a Montepulciano (com seus vinhedos) uma cidadezinha medieval ao sul da Toscana, quase no limite com a Umbria, charmosa e em cima de  um morro… Montepulciano é um local imperdível. Lá, degustamos seus vinhos e embutidos que eles oferecem com orgulho. Ainda passamos por Montalcino, e lógico que aproveitamos para degustar os vinhos da região, como o Brunelo de Montalcino, entre outros. Deixamos o carro em baixo e subimos para um hotel no campo. Super lindo!

Vêneto e Emilia-Romagna

Em seguida fomos para Bologna (na Emília-Romagna) onde fixamos nossa base para percorrer algumas cidades dessas duas regiões. Ficamos num hotel maravilhoso e com ótimo custo-benefício (o Hilton Hotel). Indicamos a Tratoria Baltibecco para um almoço ou jantar! Comemos um espaguete à Bolonhesa na Bolonha!

De lá fomos a Veneza e Parma. De Veneza (capital de Vêneto), nem precisa se falar nada! Essa última, Parma (Emília-Romagna), muito legal, com excelentes presuntos. Lá participamos de uma grande festa de verão numa praça, com gente dançando e tudo mais… Assistimos concertos na rua e saboreamos seus presuntos,  com espumantes locais!

Veneza

Veneza

Ainda fomos a Ímola, também na Emilia-Romagna, limitando-se ao norte com Vêneto, a oeste com a Ligúria e ao sul com a Toscana (regiões por onde passamos). Em Ímola, indico o Restaurante San Domenico.

Voltamos para Milão (ou Florença?) e pegamos um voo para Nápoles (Nápoles não vale a pena, só de passagem mesmo).  Porém, de Nápoles, não deixem de ir a Pompéia. É imperdível, é um retorno à antiguidade, ver os restos da cidade soterrada pelas lavas do vulcão, pessoas que viraram “pedras”, os banhos turcos, etc. ! Visitar o Vesúvio também faz parte.

Costa Amalfitana

Em Nápoles alugamos um carro pequeno e fomos para a Costa Almafitana, descendo pelas estradas cheia de cerejas! Paramos em um ótimo restaurante na beira da estrada. A Costa Amalfitana “é um trecho de 60 km do litoral da Campânia, entre Sorrento e Salerno, passando por uma estrada costeira que é uma passarela super estreita, e por onde vai se vendo um precipício. Na estrada de Nápoles à Sorrento paramos para comprar cerejas!

Dormimos em  Sorrento no Hilton (e ficamos lá, como nossa base, durante quatro dias, no mínimo). Sorrento tem uma rua de pedestres bem legal e fica  em frente a ilha de Capri. Se tiver um tempinho é bom dar uma esticada até Capri!

De lá fomos a Positano. Tem duas estradas sinuosas para chegar a Positano desde Sorrento: uma pelo mar e outra pela serra. Todas duas lindas. Fomos por uma e voltamos pela outra. As vistas são realmente belas. Jantamos num restaurante em Positano (indicado no livro “1000 lugares para conhecer antes de morrer”). Almoçar lá deve ser ótimo, pois a vista é linda (Restaurante Il San Pietro di Positano).

Fomos ainda a Ravello e outras cidadezinhas da Costa, todas muito lindas…

Costa Amalfitana

Costa Amalfitana

Depois de uns dias na Costa Amalfitana, saímos de Sorrento para Roma numa auto-estrada de seis pistas, muito boa. Lá ainda ficamos um dia no UNA Hotel. Deixamos nosso pequeno carro e voltamos para o Brasil! Ah, e os gelados italianos! Também não podem deixar de serem provados!

Sobre a entrevistada: 

Lucy Collier de Melo Lima, leonina, casada, 03 filhas, 04 netos. Economista, bancária, e sempre que pode viaja. Trabalha na Caixa Econômica e brevemente estará se aposentando “para poder demorar mais nas viagens”. Gosta de aproveitar a vida e conhecer bons restaurantes e bons hotéis.

 

Avalie esta postagem


Engenheira por formação, fez doutorado em Madrid onde começou sua paixão pela Europa. Aprendeu, com seus pais, desde criança a gostar de viajar. Adora viajar e diz que "sem viajar não me reconheço"! Escreve sobre suas viagens pelo mundo afora de forma divertida e leve. Escritora por hobby, além desse blog tem dois livros de viagens publicados.

Comentário para Um giro pela Itália: Lombardia, Ligúria, Vêneto, Emilia-Romagna, Toscana e Costa Amalfitana (by Lucy Collier)

  • muito bom seus comentários e dicas.Farei mudanças no meu próximo roteiro.Obrigada.Valeu!!!

    Elizabeth MirandA 19 de dezembro de 2013 2:42 Responder
  • Parma e Bologna são cidades da Emília Romagna (a última é sua capital). Veneza sim, é capital da região do Vêneto. Gostari de saber por que Napoli não vale a pena?

    Leandro Ricciluca Matiello Felix 19 de dezembro de 2013 19:00 Responder
    • Obrigado por corrigir Leandro. Já foram feitas as devidas correções. Agora pra saber o pq Napoli não vale a pena, vou perguntar a entrevistada e lhe direi, porque eu ainda não fui por lá (embora esteja nos meus planos) Mas já li em muito lugares que basta um dia em Napoli, e que o interessante é ir a Pompeia e ver o Vesuvio pelos arredores…

      Ana Célia 20 de dezembro de 2013 9:03 Responder
    • Leandro, a questão s/ Napoli é que a cidade é desorganizada e não tem muito o que ver. Segunda a entrevistada e outras pessoas que conhecem a cidade… Mas, cada um tem seu gosto, claro!

      Ana Célia 20 de dezembro de 2013 20:29 Responder
  • Oi Ana!!Adoro acessar seu blog que possui dicas otimas!!!Gostaria de saber sobre o hotel Hilton de Bologna do post anterior,pois não encontrei-o na internet,o que encontrei fica distante da cidade.Será que você poderia me passar mais informações??
    Obrigada
    Heliane Melim

    Heliane Melim 13 de março de 2014 23:38 Responder
    • Oi Heliane. Realmente o hotel Hilton (Unaway Hotel Bologna San Lazzaro, Via Fantini, 1, San Lazzaro di Savena. Anteriormente Hilton Garden Inn Bologna)que a entrevistada ficou está a apenas 9km do centro de Bolonha (mas isso é pouco pra quem está de carro, que era o caso dela). Com muito verde ao redor. Os hóspedes podem alugar bicicletas e passear por uns 4km de ciclovias nas proximidades. No hotel há serviços incluindo: um parque de estacionamento gratuito, um centro de fitness e salas de conferências totalmente equipadas. Wifi grátis. Veja mais em http://www.booking.com/hotel/it/garden-inn-bologna-san-lazzaro.html

      Ana Célia 14 de março de 2014 15:21 Responder
  • olá! adorei seu blog! uma duvida: quanto vc gastou com essa viagem? e quanto ao idioma,da pra desenrolar com ingles mediano… ahahhahahaha

    steffane morgana cavalcante 24 de fevereiro de 2016 0:38 Responder
    • Sabrina essa viagem foi feito por uma leitora do blog. Esse post é uma entrevista. Portanto infelizmente não sei lhe dizer os gastos, mas sobre a língua, dá pra desenrolar tranquilamente!

      Ana Célia 2 de setembro de 2016 18:39 Responder
    • Steffane essa viagem foi feito por uma leitora do blog. Esse post é uma entrevista. Portanto infelizmente não sei lhe dizer os gastos, mas sobre a língua, dá pra desenrolar tranquilamente!

      Ana Célia 2 de setembro de 2016 18:39 Responder
  • Vamos para Toscana! Finalmente! 😘

    SanJr 28 de fevereiro de 2018 11:05 Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...
%d blogueiros gostam disto: