Site com dicas de viagens.

Paris: Dicas pra quem tem pouco tempo…

Depois de minhas experiências por Paris, vou  dar algumas dicas, exatamente pra quem vai passar pouco tempo (e principalmente para quem tá indo pela primeira vez, porque vai ter – claro! – que vistar os pontos mais turísticos!).

Obs. Para quem já foi (ou quer conhecer mais cosas) sugiro ver essas novas dicas nesse outro post aqui.

Além dos pontos turísticos, você pode ver a seguir dicas de hotéis, restaurantes e bares e cafés…

Os principais pontos/locais a serem visitados:

1- Catedral de Notre Dame. Metrô: Linha 4 estação Cité ou Saint-Michel ; Linha 1, 11 estação Hôtel de Ville; Linha 10 estação Maubert-Mutualité ou Cluny–La Sorbonne ; Linhas 7, 11 et 14 estação Châtelet. (http://www.notredamedeparis.fr) (http://pt.wikipedia.org/wiki/Catedral_de_Notre-Dame_de_Paris)

2- Museu do Louvre – Metrô: estação Palais-Royal/musée du Louvre – site oficial  – ver mais...  – (sem entrar, somente passar por fora, ver a Pirâmide… Se for para visitar o museu, vc vai precisar de mais tempo, pelo menos um dia inteiro ou meio dia, a não ser que vc queira ver poucas obras e já saiba quais vc quer ver, daí vá diretamente até às mesmas)

3- Avenida Champs Elisées (andar por lá…, ver as vitrines, sentar num café…) – Caminhe até o Arco do Triunfo, ou comece por lá… Ver mais aqui.

4- Arco do Triunfo – Metrô: estação Charles de Gaulle-Étoile. (Só passar por baixo, olhar, tirar fotos…). Ver mais…

5- Torre Eiffel – Metrô: Estação Champ de Mars/Tour Eiffel, linha RER C. Estação Ecole Militaire Linha 8, e Estação Bir-Hakeimon Linha 6. (se não tiver tempo pra subir, pelo menos passear por perto, ficar admirando-a…) – site – ver mais

6- Basílica de Sacre-Coeur em Montmartre (e a Praça do Tertre – ou dos Artistas -, próxima a igreja). Metrô: Estação Anvers (site)

7- O Bairro Quartier Latin. Metrô: Estações: St-Michel, Cardinal Lemoine, Monge (andar pelas ruas, sentar num café… E, em especial andar pelos bulevares Saint Michel e Saint Germain) – ver mais aqui.

Agora vamos ver algumas dicas do que fazer a cada dia, se vc só tiver dois dias (ou divida em mais dias a programação a seguir, curtindo mais cada local):

Pra quem gosta de andar a pé: (Caso não gosta, ou não possa, vá de metrô: Pode ver cada estação de metrô, que deve descer, acima. Ou ainda pode ir de ônibus ou táxi, ou de bike de aluguel, que tem em todo quarteirão de Paris).

Dia 1:

Se você chegar de trem pela Gare d’Austerlitz você pode ir caminhando, beirando as margens do Sena… Se não, se você vier de avião, você também pode começar o passeio pegando o metrô até a Gare (que é bem bonita e vale a pena ver: metrô Gare d’Austerlitz), ou dependendo da localização do seu hotel, vc pode até ir a pé até lá.

Caso prefira, comece pelo item 2, a Catedral de Notre Dame (chegue a pé de onde estiver, ou vá de metrô, parando no St-Michel Notre Dame – RER B Train Line -blue- ou St-Michel Notre Dame – RER C Train Line – yellow- ou Cité – Line 4 -fuschia-).

 Na verdade, você pode começar por qualquer dos pontos listados, que fique mais perto de seu hotel, se não quiser pegar metrô e fazer o trajeto “pra frente e/ou pra trás”…

Depois da Gare D’Austerlitz, vc vai pelo Quai Saint Bernard e vai passar pelo INSTITUT DU MONDE ARABE. Aí, nesse ponto, você tem duas opções: Ou entra no Boulevard Saint German e vai logo conhecer o Quartier Latin, ou segue em frente e vai pelo Quai de la Tournelle que você chegará na Catedral de Notre Dame (Île de la Cité).

Escolhendo a segunda opção (Catedral, e deixando o Quartier Latin pra outro dia), vá caminhando e parando nos seguintes pontos:

1- Catedral de Notre Dame – A visita padrão da igreja é sem guia e é tranquilo de se fazer. Mas há também visitas guiadas em várias línguas, incluindo duas visitas especiais que podem valer a pena, como a visita das torres e a visita das criptas.

(E, se tiver um tempinho de sobra, visite mais um pouco a Île de la Cité, onde fica a catedral, que é o centro da capital francesa e onde a cidade medieval de Paris foi fundada. Além da Catedral, ali se pode ver a Sainte-Chapelle, os Tribunais mais importantes do país e a praça de Vert-Galant. Além dela, atrás da Notre Dame, se encontra outra ilha: a Île de Saint Louis, que ainda é uma área residencial. Quase não se nota a travessia, pois as pontes parecem ruas largas. Mas é uma ilha, pequena e charmosa, com ruas estreitinhas e prédios antigos, com lojinhas, docerias e restaurantes, alguns dos mais bem conceituados de Paris. Recomenda-se andar por todas as ruas que são poucas, e escolher um restaurante, café ou doceria pela aparência pois não há como errar. Um dos mais famosos é o “Nos ancêtres les Gaulois”.)

1.1- Opcional: Andando um pouco mais em direção ao Louvre, depois da Pont Neuf, veja: Pont des Arts no Quai du Louvre (“Casais do mundo inteiro jurando amor eterno tomaram o hábito de fixar um cadeado gravado com seus nomes nas grades do Pont des Arts e jogar a chave no rio Sena. Essa moda está em alta, como em outras capitais do mundo, causando assim um problema para a prefeitura de Paris que está estudando a possibilidade de removê-los por uma questão de preservação do patrimônio. Mas que os românticos não desesperem, um outro local será escolhido para tanto amor”: http://lauraemparis.blogspot.com/2010/05/o-amor-e-eterno-no-pont-des-arts.html. Dizem que só ou acompanhado, a Pont des Arts é um dos lugares mais charmosos da cidade. É uma ponte de pedestres sobre o rio Sena e fica em frente ao Louvre com uma vista privilegiada da “Île de la Cité”, onde fica a catedral de Notre-Dame. É um lugar especial para ver o tempo passar e tomar banho de sol na primavera parisiense. Ótimo para piqueniques e encontros nos fins-de-tarde, a “pont des Arts” tem o solo em madeira e bancos na sua parte central.

2- Rue de Rivoli: Seguindo o “rumo” depois da Catedral de Notre Dame, vc encontra essa rua (caso vc não tenha optado por ir até a Pont des Arts (1.1), ao sair da catedral vc já cruza a Ponte Notre Dame e logo chegará nessa rua. Mas, se vc tiver ido até a Pont de Arts, vc aproveita e vai primeiro ao museu do Louvre que tá logo em frente a tal ponte, e logo por trás do museu, vc encontra a Rue de Rivoli – se tiver dúvidas consulte o google maps -).

Com pouco tempo que vc tenha, o lance é apenas passar por essa rua até chegar na Champs-Elysées. Mas, se quiser fazer compras, de acordo com alguns entendidos, esqueça os grands magasins, pois a Rue de Rivoli é o melhor lugar para isso. Tem de tudo para todos os gostos e numa tarde se percorre a rua longa e bonita. Desde lojas de roupas a livrarias, antiquários, cafés, restaurantes, alta e baixa costura, curiosidades, etc. É uma parte mais turística do que o Quartier Latin, mas vale a pena. E, passa ao lado do Louvre…

3- Pirâmide do Museu do Louvre: Passeando pela Rue de Rivoli vc encontrará o Museu do Louvre (ou se vc tiver ido até a Pont des Arts, verá o museu logo em em frente). A moderna pirâmide faz um grande contraste com o antigo Palais do Louvre, sede da corte francesa desde o século XIII, onde hoje é o museu. A obra ainda é motivo de polêmica entre os franceses e arquitetos de diferentes correntes. Você precisará de dias para conhecer bem o Museu do Louvre. (Não entre no Museu se vc tem pouco tempo, a não ser que vc saiba o que queira ver e vá direto às obras pré-selecionadas!).

4- Jardim de Tuileries: Jardim praticamente em frente ao Louvre, Les Tuileries, onde ficava um antigo palácio da monarquia francesa que foi derrubado durante a Revolução Francesa. Se vc tiver andando pela Rue de Rivoli vc verá o Jardim à sua esquerda, logo após o Louvre. Daí siga (em frente) para a Praça da Concórdia (Place de la Concorde)

5- Chegando na Place de la Concorde, onde o rei Luis XVI e sua mulher, Maria Antonieta, foram guilhotinados. Quando estiver atravessando a praça, veja à direita, a Igreja da Madeleine ao fundo, que também pode valer uma visita, dependendo de seu tempo.

6- Champs-Elysées, continuação da Rue de Rivoli, e logo após a Place de la Concorde, a avenida Champs Elisées é o boulevar mais chique e caro de Paris. No final do ano, as luzes de Natal complementam o visual da avenida. Um dos restaurantes recomendados na página “Onde comer”, é o LaDurée… Bom, de toda forma, suba por essa avenida até chegar no Arco do Triunfo! (outra opção é começar seu tour do Arco e fazer o percurso inverso…)

7- Arco do Triunfo: Depois de breve visita ao Arco, vc pode ir caminhando p/ Torre Eiffel (segue por Ponte de Alma, Place de Alma, Avenue Marceau). Faça um passeio histórico a pé. (se quiser ir de metrô: Metrô Charles de Gaulle-Etoíle). Ou antes, se tiver um tempinho faça um passeio pelo rio Sena nos barcos da companhia Bateaux Mouche… Vc passará por eles (Ponte da Alma), antes de chegar à Torre…

8- Passear pelo Sena nos barcos do Bateux Mouche… (site). Você pode deixar pra fazer isso à tarde, após almoçar ou lanchar em algum bistrô, ou no dia seguinte (principalmente se vc optou por ficar mais tempo na Île de la Cité -onde está Notre Dame- e/ou Île Saint Louis, ou ainda se optou em passar na Pont des Arts -ver item 1 e 1.1-ou se resolveu fazer compras…).

9- Torre Eiffel – “O melhor ponto para se observar e tirar fotografias da Torre Eiffel é partindo dos jardins e espelhos d’água do Trocadero. No verão, alguns turistas costumam tomar banho no chafariz, como menino de rua…”. Alguns dizem que vc deve resistir à tentação de “escalar” a torre, se estiver lotada porque Paris vista do tão alto pode ser decepcionante, principalmente já que “seu mais belo cartão postal – a torre Eiffel – não pode ser vista do alto de si mesma”! Leia mais aqui.

Bem, eu acho que, se não tiver lotada, vale a pena subir, sim!!!

Se já estiver muito tarde nesse primeiro dia (se vc tiver ficado mais tempo curtindo os outros lugares) vc pode deixar essa visita pro dia seguinte! Nem que seja passar por baixo/perto dela ou admirá-la desde os jardins do Trocadero!

Obs. Esse percurso, desde a Estação de trem Austerlitz até a Torre Eiffel (passando por todos os locais sugeridos acima), tem em torno de 10 a 12 Km. Se fosse direto, seria a metade…

Noite do dia 1:

Visitar Montmartre, que fica numa colina, terra da boêmia da Belle Epoque e dos sex shops (em Pigalle, bairro que fica logo abaixo de Montmartre) do século XX. O bairro é um dos mais antigos de Paris, onde está o famoso Moulin Rouge. O bom é andar a pé, ver as coisas típicas… O bairro é cheio de ladeiras, por isso é bom ir até lá de metrô ou ônibus descendo na estação Pigalle e, de lá, pegar o minitrem (Funiculaire) que sobe até a igreja Sacre-Coeur de Montmartre.

Se for num dia de sol (no verão, principalmente) a vista da cidade toda é ótima. Veja, a “vie en rose” ao entardecer ou anoitecer de verão, sentado nas escadarias da Sacre Coeur. No verão escurece muito tarde, só depois das 9 da “noite”. A basílica está aberta até as 11 horas da noite. Nas portas da Sacre Coeur tem muita movimentação até depois da 1h da madrugada, quando são apagadas as luzes da torre Eiffel

Uma rua estreita próxima à igreja leva a uma das praças mais legais de Paris: a Place du Tertre (também chamada de Praça dos Artistas) cheia de pintores e tem tb alguns cafés muito bons.

Descendo do topo da colina para o Boulevard de Clichy na altura da Praça Pigalle, fica o Moulin Rouge onde começa a série de sex shops. (Metrôs: Anvers, Chateau-Rouge, Abesses…).

Obs. Outra opção nessa noite do dia 1, é jantar em um dos Bateux Mouche, em vez de ir a Montmartre, e deixar Monmartre pro dia seguinte. Trocar o programa. Se resolver jantar no Bateau Mouche, não precisa fazer o passeio de barco pelo rio Sena durante o dia…

 

Dia 2:

Se vc optar por ficar num hotel charmosinho chamado “Hotel Leveque” (simples, mas legal) que fica numa rua mais do que charmosa (e pertinho da Torre Eiffel), tome o Café da manhã nessa rua: a Rue Cler*, depois vá caminhar por essa rua, que é pequena e muito interessante (se vc não optar por esse hotel, tome café no seu hotel ou em alguma padaria, que sempre tem pães deliciosos)…

*”Rua de Pedestres desde 1984, rue Cler é uma das últimas ruas de mercado autenticas da capital. Junto com os açougues locais, os negociantes do vinho, os fabricantes do queijo e as floriculturas, os cafés ao ar livre e os músicos da rua enchem o ar com um sentido do um ambiente parisiense mais puro. Longe dos bulevares grandes, o encanto das guias de rua, os carrinhos de criança, e os monumentos da vizinhança: a torre de Eiffel, Invalides, Champs Elysées e Arco de Triumphe. O rush diário desvanece-se lentamente para revelar a tranqüilidade e a calma da noite”.

Mas também tem alguns bares-cafés abertos a noite e são ótimos! Veja mais aqui e aqui, entre outros sites…

…e depois do café da manhã: 

1- Passear pelo Sena no Bateau Mouche, caso vc não tenha ido no dia anterior, ou: Suba a Torre Eiffel, se tiver interesse. (Veja as dicas e mais detalhes dessas duas opções no dia 1 e também logo no início deste post, onde tem os principais pontos a serem visitados…).

2- A tarde vá passear pelo Quartier Latin. Na verdade, vc pode passar lá o dia inteiro (ou a tarde e a noite)! Lá vc encontra ruas legais, tanto em termos culturais quanto gastronômicos. Recomenda-se particularmente a região entre o Sena e a Boulevard Saint Germain, próximo do cruzamento com a Boulevard Saint Michel.

Ande pelas ruazinhas medievais, procure a rua dos restaurantes gregos em que ficam exibindo espetos de carne nas entradas… Se gosta, procure os sebos de livros, CDs e DVDs na Boulevard Saint Michel, e vá até a Sorbonne (uma das mais antigas e respeitadas universidades do mundo) mais acima perto do Jardim de Luxembourg.

Tem uma interessante livraria, a Shakespeare, a beira do Sena (que aparece no filme Antes do Anoitecer), também o bar e restaurante “La Formie Aillé” (ver no site: Onde comer. www.eatinparis.com) que fica perto dessa livraria… e a Rue Mouffetard, cheia de bares e restaurantes.

Tudo a pé… Na região perto do metrô Odeon tem a livraria Taschen, a boulangerie Paul e o restaurante Allard, além vários cinemas.

No lado direito do rio Sena, o Quartier Latin continua sendo, até hoje, uma área de estudantes e intelectuais. Os bulevares Saint Michel e Saint Germain abrigam os bistrôs mais queridos da boêmia francesa. O mais famoso é o Café de Flore (172, Boulevar Saint Germain, metrô Odéon) onde a turma de Jean-Paul Sartre se reunia.

Tem ainda um sorvete famoso próximo à Fonte Saint Michel, que dizem ser a segunda mais charmosa do mundo, depois da Fontana di Trevi, em Roma. Ainda no Quartier Latin, vc pode tomar um chá de menta na Mesquita de Paris (metrô Censier-Daubeton) e visitar (se houver tempo e interesse) o Instituto do Mundo Árabe (metrô Jussieu).

A Igreja Saint Germain des Prés também vale uma visita, pois lá vc pode ouvir música sacra além de conhecer a história de Paris desde o século 8, época da resistência às invasões normandas.

Bom, tem muita coisa nesse bairro. Se vc só tiver uma tarde, opte por caminhar um pouco pelos dois “bulevares” principais: o Saint Germain e o Saint Michel, entrando de vez em qdo numa das ruazinhas estreitas… Escolha um lugar que vc goste pra almoçar, ou jantar… Aproveite e vá ao Café de Flore, nem que seja pra tomar um café simplesmente! Site. (Endereço do Café de Flore: 172, Boulevard Saint-Germain – Metrô: Saint-Germain-des-Prés).

Dia 2, à noite:

Vc pode continuar no Quartier Latin, ou fazer um dos programas propostos para a noite do dia 1, o qual não tenha feito!

Ou, ainda escolher um bom restaurante e curtir a culinária francesa! Veja aqui!

Veja também, ao final, algumas dicas de restaurantes, bares e cafés (dadas por Danusa Leão).

Obs. Se vc tem mais que dois dias, ou seja, no mínimo uma semana, tem um outro site legal pra ver o que fazer em Paris (site).

 

Dica de Hotel:

Grand Hôtel Lévêquehttp://www.hotel-leveque.com/fr

Perto da Torre Eiffel, numa ótima localização, e numa rua super charmosa de pedestres, com mercadinhos, cafés, padarias e floriculturas (onde se encontram parisienses fazendo suas compras do dia a dia): a Rue Cler! É um hotel pequeno, nada sofisticado mas muito legal. De preferência pegue um dos quartos da frente que tem um balcão charmosinho, onde vc pode ficar admirando o movimento da rua…

Outra dica de hotel, bem como outros textos sobre Paris no blog de uma amiga.

 

Outras dicas:

Restaurantes, bares e cafés

Danusa Leão em seu livro “De Malas Prontas”, indica o bistrô Benoit (um dos melhores de Paris) para um almoço

Já no outro livro “Fazendo as Malas” , ela indica vários bares e restaurantes, bem como casas de chá. Entre eles:

– Androuet –  (casa do queijos)

– Angelina

– Cafe de Flore – (endereço já dado acima)

– Chen Soleil D’Est (chinês)

– Chez Omar – (marroquino)

…e mais outros como:

Nesse último livro citado (“Fazendo as Malas”) Danusa também dá dicas de hotéis, mercados e lojas! Com endereços… Vale a pena conferir!

Obs. Final: Para quem já foi a Paris veja novas dicas aqui.

 


Carregando...
%d blogueiros gostam disto: